NOTÍCIAS VIVA MAIS

Técnica dá esperança a muitas mulheres que ainda desejam ter filhos

Estima-se que cerca 70% das mulheres em idade fértil apresentem um ou mais miomas, nódulos benignos que atingem o útero. Apesar da alta incidência, nem todos geram sintomas e alguns só são identificados em exames de rotina. Os tratamentos são variados e já contam com técnicas cada vez menos invasivas, como a embolização. 

A embolização de miomas está indicada apenas para as pacientes sintomáticas, ou seja, aquelas que sofrem com a presença dos mesmos. Ainda assim, existem miomas em que procedimentos cirúrgicos ou endoscópicos estariam melhor indicados para o tratamento. Desta maneira, é importante que a paciente passe antes numa consulta com o seu médico ginecologista para avaliar, em conjunto com ele, a melhor alternativa de tratamento.

Saiba mais:
Pode-se fazer embolização em mais de um mioma?

O procedimento é realizado apenas com um corte do tamanho de uma ponta de caneta na região da virilha, por onde o médico tem à circulação uterina e realiza o tratamento. Não necessita de pontos, o tempo de internamento é cerca de 1 dia, a paciente já pode caminhar 6 horas após o término do procedimento e preserva sua fertilidade. 

A técnica permite que sejam embolizados mais de um mioma presentes no útero da paciente num único procedimento. O Dr. André Goyanna, médico especialista em radiologia intervencionista, afirma que “a embolização de mioma pode ser usada no tratamento das pacientes que tenham sintomas, independentemente da idade. Se a paciente tem 50 anos, 60 anos e e está sintomática, ela pode ser submetida, sim, à embolização. Assim como a paciente jovem, que tem como a única alternativa a embolização para conseguir tratar de maneira eficaz e segura aquele mioma, é feito o procedimento, que é um procedimento médico consagrado no mundo inteiro”.