NOTÍCIAS VIVA MAIS

Principal tratamento para o câncer de endométrio é a cirurgia

O câncer de endométrio, na maioria das vezes, tem poucos sintomas. A doença é muito indolente e avança devagar. Ele se inicia na mucosa que reveste a parede interna do útero, o endométrio. É um dos tumores ginecológicos mais frequentes nas mulheres acima dos 50 anos e seu sintoma principal é um sangramento entre as menstruações, antes da menopausa, ou um sangramento irregular após a menopausa. A paciente com câncer de endométrio deverá procurar um médico com treinamento em oncologia, pois será necessário construir uma estratégia terapêutica que poderá incluir, além do cirurgião, um radioterapeuta e um oncologista clínico. Quando a estratégia é muito bem estabelecida, adequada, as chances de cura se ampliam, portanto, procurar um médico especializado em oncologia é fundamental para tratar o paciente com câncer.

O principal tratamento para o câncer de endométrio é a cirurgia, que tem um papel fundamental no controle da doença e na cura destas pacientes. Cerca de 70% das vezes, o câncer de endométrio encontra-se confinado ao útero, ou seja, ele não se espalhou, ele não deu metástase. Este é o melhor cenário para se construir uma estratégia de tratamento adequada para a paciente. A quimioterapia tem um papel secundário à cirurgia, a radioterapia oferece um melhor controle local, mas todos num contexto adjuvante, ou seja, realizado após a cirurgia. 

O útero exerce, além de suas funções biológicas, papéis relacionados à sexualidade e à feminilidade. Portanto, é muito importante não banalizar a cirurgia, ou seja, a paciente deve apresentar alguma doença que represente risco para sua saúde para que seja indicado o procedimento cirúrgico, para ser indicada a retirada do útero. De uma forma geral, a histerectomia tem resultados positivos e com efeitos que beneficiam a vida da mulher que sofre de alguma patologia e que tem, na intervenção, a esperança de alcançar novamente uma vida com qualidade.

Tomar café reduz o risco de câncer endometrial
O cirurgião oncológico, doutor Adson Neves, conta que “uma pesquisa de Harvard avaliou 19 estudos publicados (envolvendo quase 40 mil mulheres) sobre o efeito do café como um fator protetor para o câncer de endométrio. Os resultados mostraram que tomar café, regularmente, reduz o risco de desenvolvimento do tumor:

- 2 a 3 xícaras de bebida por dia - risco 7% menor;
- mais de 4 xícaras - risco 22% menor;

No entanto, este efeito protetor foi observado mais naquelas pacientes que já tinham um risco importante para o desenvolvimento do câncer de endométrio, a obesidade. Então, é necessário aguardar outros estudos para validar esta afirmativa de que o café é um fator protetor para o câncer de endométrio”.