NOSSOS VÍDEOS

Vídeo Completo - Série Ressonância Magnética da Coluna

 (071) 37... Ver mais >

Viva Mais Viva Melhor – Existem muitas causas para dor nas costas? Que médico o paciente deve procurar para saber de onde vem essa dor?
Dr. José Luiz Ferreira – A dor nas costas pode ter inúmeras causas e frequentemente podem ser decorrentes de problemas posturais, espasmos musculares, estiramentos ligamentares, alterações degenerativas dos discos intervertebrais levando a hérnias, protusões e abaulamentos discais, alterações degenerativas nas articulações da coluna que eventualmente podem estreitar espaços por onde passam nervos e comprimir estruturas nervosas. Mas raramente doenças inflamatórias como espondilodiscite e tumores podem causar dores ósseas ou comprimir estruturas nervosas. Uma boa anamnese e o exame físico são fundamentais. Exames de imagem podem ser utilizados na investigação da causa, mas os achados destes exames devem ser correlacionados pelo médico solicitante com os sintomas do paciente e os achados do exame físico. A avaliação inicial pode ser feita por um bom médico clínico, ortopedistas gerais, médicos do trabalho, reumatologista, entre outros. Nos casos mais severos, com sintomas neurológicos ou refratário ao tratamento, podem ser encaminhados para um especialista em coluna, geralmente um ortopedista ou neurocirurgião e um especialista em dor.

Viva Mais Viva Melhor – E quais os exames mais solicitados para diagnosticar um problema na coluna? Quando estaria indicada a realização do exame de ressonância magnética?
Dr. José Luiz Ferreira – Os métodos mais utilizados são a radiografia convencional, a tomografia computadorizada e a ressonância magnética. A radiologia convencional é um método de baixo custo que dá informações importantes sobre anatomia óssea. Uma visão panorâmica e seu estado atual, como a presença de fraturas e artrose, a tomografia computadorizada avalia bem as partes ósseas e fornece uma boa ideia das alterações discais e das partes moles em geral. A ressonância magnética é o mais completo, pois além das estruturas ósseas avalia bem os ligamentos, discos intervertebrais e estruturas nobres delicadas como a medula espinhal e raízes nervosas.

Viva Mais Viva Melhor – Qual a diferença da ressonância magnética para estes outros exames, doutor?
Dr. José Luiz Ferreira – A ressonância magnética utiliza o campo magnético e ondas de radiofrequência, enquanto a radiografia e a tomografia computadorizada utilizam radiação ionizante que é parcialmente absorvida pelo corpo humano. O equipamento de ressonância é um pouco parecido com o da tomografia, porém é mais comprido e mais ruidoso e o exame é mais demorado.

Viva Mais Viva Melhor – No caso de dor na coluna, qual a vantagem da ressonância magnética com relação ao raios-X e a tomografia?
Dr. José Luiz Ferreira – Não utilização de radiação ionizante, que deve ser evitada, na medida do possível, é uma das vantagens. As imagens da ressonância podem ser obtidas diretamente em qualquer plano, o que permite que os melhores ângulos para estudar as lesões sejam estudados. Na coluna, em poucas imagens sagitais podemos observar detalhes de um longo segmento da coluna com várias vértebras e seus respectivos discos e a relação com a medula espinhal e estruturas nervosas. O contraste natural entre os tecidos e a sensibilidade para líquido e edema são maiores na ressonância. Isso possibilita obtenção de imagens com alta definição das partes moles nos melhores planos, separando o disco intervertebral, líquor, medula espinhal e raízes nervosas, possibilitando evidenciar edema ou sofrimento medular, podendo alterar o tratamento e o prognóstico do paciente. Em resumo, obtemos imagens mais precisas, nos melhores planos e com maior resolução de definição.

Viva Mais Viva Melhor – O que será estudado na ressonância magnética da coluna?
Dr. José Luiz Ferreira – Este é o exame de imagem mais completo para a coluna. Através da ressonância magnética verificamos o estado da musculatura paravertebral, ligamentos, discos intervertebrais, raízes nervosas e medula espinhal. Se há alterações degenerativas, traumáticas, inflamatórias ou tumorais, como estão os espaços por onde passam os nervos, se existe compressão de alguma estrutura neural e etc.

Viva Mais Viva Melhor – O que é mais comum de ser encontrado na ressonância magnética da coluna, este seria o exame mais indicado para o diagnóstico de hérnia de disco?
Dr. José Luiz Ferreira – Sim, este é o melhor exame para diagnosticar hérnia de disco. Os achados mais comuns são as alterações degenerativas do envelhecimento que comprometem os discos intervertebrais, que podem se deslocar causando o que é genericamente chamado de hérnia discal. Também são bem avaliadas as alterações degenerativas ósseas como a artrose interfacetária e os osteófitos vertebrais, conhecidos como “bicos de papagaio”. Estas alterações podem comprimir as estruturas nervosas e a medula espinhal, podendo causar dor e sintomas neurológicos como dormências e formigamentos.

Viva Mais Viva Melhor – Alguns exames de imagem são realizados com aplicação de contraste venoso. É preciso utilizar este método no caso do exame da coluna?
Dr. José Luiz Ferreira – Aplicação de contraste em exames de coluna vertebral não é muito frequente. Geralmente é usado nos controles pós-operatórios, nas suspeitas de infecção ou de tumores, o que representa um grupo pequeno de pacientes.

Viva Mais Viva Melhor – Quais exames anteriores devem ser levados para quem vai realizar uma ressonância da coluna?
Dr. José Luiz Ferreira – É sempre interessante levar os exames de imagem como ressonância magnética, tomografia computadorizada e radiografias simples realizadas anteriormente, principalmente quando se trata de um controle do tratamento, podendo ser comparada com o exame atual. Os exames anteriores também poderão auxiliar na escolha do protocolo e da técnica para o exame atual.

Viva Mais Viva Melhor – A ressonância magnética é um bom método para avaliação dos pacientes operados da coluna?
Dr. José Luiz Ferreira – Sim. E, nesses casos, geralmente é empregado o contraste venoso. Nos pós-operatórios de hérnia discal os tecidos cicatricial e de granulação realçam mais do que os outros tecidos, facilitando identificar o que é fibrose, inflamação, material discal e coleções. Nos casos de pós-operatórios de tumores essas lesões realçam mais do que os outros tecidos, facilitando avaliar se há ou não restos tumorais e qual a sua extensão.

Viva Mais Viva Melhor – Em quanto tempo o paciente receberá o resultado do exame de ressonância magnética da coluna?
Dr. José Luiz Ferreira – A rotina varia de acordo com os serviços, geralmente 3 dias, mas pode ser reduzido de acordo com a urgência.