NOSSOS VÍDEOS

Vídeo Completo - Câncer de Pâncreas

 (071) 99... Ver mais >

Viva Mais Viva Melhor – O que é o pâncreas?
Dr. Alexandre Albuquerque – O pâncreas é um órgão que está localizado no abdome, numa região chamada retroperitônio, esta região fica atrás do estômago e intestino, próximo das grandes artérias e veias que levam o sangue para o fígado, intestino, estômago e baço. O pâncreas é dividido anatomicamente em 3 partes: a cabeça, o corpo e a cauda. Ele tem a função de produzir hormônios como a insulina, que é responsável pelo controle do açúcar no sangue, e também por produzir substâncias que ajudam na digestão dos alimentos.

Viva Mais Viva Melhor – O que é o câncer de pâncreas?
Dr. Alexandre Albuquerque – O câncer de pâncreas é decorrente da proliferação anormal e desordenada de células pancreáticas que sofreram mutações. Estas células cancerígenas podem invadir outros tecidos e órgãos, o que leva ao mau funcionamento dos mesmos e, em situações avançadas, a morte do paciente.

Viva Mais Viva Melhor – Quais são os sintomas do câncer de pâncreas?
Dr. Alexandre Albuquerque – O câncer de pâncreas normalmente demora a apresentar sintomas. Muitas vezes os sintomas iniciais são vagos, como por exemplo a dor abdominal que pode ser confundida com má digestão ou mesmo a sensação de gases. Outros sintomas frequentes são a falta de apetite e a sensação de cansaço. Nos tumores da cabeça do pâncreas um sinal comum é o surgimento de icterícia, que é a coloração amarelada da pele e dos olhos, este sinal muitas vezes pode inclusive ser mal interpretado como sinal de hepatite. Vale lembrar que, em pacientes idosos, o surgimento recente de diabetes pode ser um sinal de tumor de pâncreas.

Viva Mais Viva Melhor – Como se diagnostica o câncer de pâncreas?
Dr. Alexandre Albuquerque – O principal exame utilizado para o diagnóstico de câncer de pâncreas é a tomografia computadorizada, que também pode ser substituída pelo exame de ressonância magnética do abdome. Em alguns casos para melhor avaliação podemos utilizar outros exames como a ecoendoscopia e a CPRE (Colangiopancreatografia Retrógrada Endoscópica). Existe, ainda, o exame de sangue em que a dosagem de uma das substâncias chamada de CA 19-9, que pode auxiliar o médico no diagnóstico e no acompanhamento dos pacientes. É importante ressaltar, no entanto, que o exame de CA 19-9 isoladamente não faz diagnóstico de câncer no pâncreas, pois ele pode estar elevado em outros tipos de doença.

Viva Mais Viva Melhor – Todo tumor de pâncreas é agressivo?
Dr. Alexandre Albuquerque – O câncer de pâncreas mais comum é o adenocarcinoma, que é a variante mais agressiva e corresponde a cerca de 90% dos tumores. Existem outros tipos menos agressivos como os tumores císticos e os neuroendócrinos, que têm maiores chances de cura.

Viva Mais Viva Melhor – O câncer de pâncreas tem cura?
Dr. Alexandre Albuquerque – Sim. Quando o paciente é diagnosticado precocemente e é tratado de maneira adequada por profissionais experientes, há um aumento significativo das chances de cura. Porém, infelizmente a grande maioria dos pacientes são diagnosticados com doença avançada, quando a chance de cura é pequena.

Viva Mais Viva Melhor – Como é o tratamento do câncer de pâncreas?
Dr. Alexandre Albuquerque – O único tratamento que oferece chance de cura para o paciente é a cirurgia para a retirada do tumor. A cirurgia também pode ser realizada para melhora de alguns dos sintomas do paciente, como a icterícia e os vômitos. Um outro tratamento muito importante nos pacientes com câncer de pâncreas é a quimioterapia, que pode ser utilizada após a cirurgia como um reforço no intuito de evitar a recidiva do tumor e também como tratamento nos pacientes com tumores avançados, quando a cirurgia com intenção curativa não é realizada. Recentemente, a radioterapia, uma modalidade que utiliza radiação para erradicação de células tumorais vem sendo utilizada em combinação com a cirurgia e/ou com a quimioterapia, com bons resultados.

Viva Mais Viva Melhor – Como é a cirurgia para o tratamento do câncer de pâncreas?
Dr. Alexandre Albuquerque – Existem duas cirurgias para retirada de um tumor de pâncreas e elas são indicadas a depender de onde está localizado o tumor. Para os tumores da cabeça do pâncreas a cirurgia indicada é a cirurgia de Whipple. Nesta cirurgia é retirada a cabeça do pâncreas, o duodeno, a vesícula biliar e parte do canal da bile. Para os tumores do corpo e cauda do pâncreas o mais comum é a retirada da parte comprometida e do baço. O mais importante que temos que ressaltar é que a cirurgia do pâncreas é um procedimento de alta complexidade e que só deve ser realizada por cirurgiões que tenham muita experiência na cirurgia do câncer de pâncreas. Diversos trabalhos científicos já comprovaram que a experiência do cirurgião está diretamente ligada a diminuição na taxa de complicações e de mortalidade no pós-operatório, bem como no aumento da chance de cura.

Viva Mais Viva Melhor – Quais são os fatores de risco para o câncer de pâncreas?
Dr. Alexandre Albuquerque – Os principais fatores de risco são o tabagismo, o etilismo e a idade avançada. O hábito de fumar cigarro aumenta em até 6 vezes a chance do surgimento do tumor. A idade é um outro importante fator de risco, o tumor de pâncreas é bem raro antes dos 30 anos, sendo mais frequente a partir dos 60. O etilismo, principalmente quando leva a um quadro de pancreatite crônica, que é a inflamação persistente do pâncreas, também aumenta a chance de câncer.

Viva Mais Viva Melhor – Como prevenir o câncer de pâncreas?
Dr. Alexandre Albuquerque – A melhor forma de prevenir o câncer é ter um hábito de vida saudável. Deve-se abandonar o cigarro, evitar o uso excessivo de bebidas alcoólicas, praticar atividades físicas regularmente, evitar o excesso de peso e ter uma alimentação saudável rica em frutas e verduras e com menor consumo de carnes e alimentos industrializados.