NOSSOS SPOTS

Tema: Tratamento de Hemorroida

 (071) 32... Ver mais >

Viva Mais Viva Melhor – Problema bastante comum, mas constrangedor para a maioria dos pacientes, a doença hemorroidária acontece quando as veias do canal anal se dilatam e provocam sintomas desagradáveis. Apesar de haver muito preconceito com relação a doença, é importante ressaltar que se diagnosticada em fases iniciais, podem ser tratadas com medidas clínicas ou até mesmo com pequenos procedimentos feitos no consultório médico sem precisar de intervenção cirúrgica. Para conversar conosco sobre os tratamentos disponíveis para a doença hemorroidária, convidamos a médica doutora Elaine Almeida, especialista em coloproctologia e colonoscopia.

Doutora, primeiramente explica para os nossos internautas, a doença hemorroidária é mesmo uma queixa comum no consultório médico? Devido ao seu preconceito, é comum encontrar casos já avançados da doença?
Dra. Elaine Almeida – Sim. É uma queixa muito comum no consultório do proctologista, a principal queixa na verdade no nosso consultório e realmente tem muita gente que tem muito preconceito. Mas o meu medo maior neste preconceito deles virem ao médico é também da doença estar avançada, mas as vezes a gente tem um sangramento e pensa que é hemorroida, mas não é hemorroida, então sempre é bom ir mesmo no consultório e perder este preconceito.

Viva Mais Viva Melhor – É correto afirmar que a melhor forma de evitar o surgimento da doença hemorroidária é a alimentação saudável e também rica em fibras?
Dra. Elaine Almeida – Isso. O fator principal causador da doença hemorroidária é o intertino preso, a constipação, que é causada pela alimentação. Então quanto mais fibras você consumir, mais água também porque tem que ser os dois, mais provavelmente você vai ter o ritmo intestinal normal e não vai desenvolver a doença. Este é o principal fator, você tem que ter uma dieta rica em fibras e água.

Viva Mais Viva Melhor – É verdade que os banhos de acento com água morna podem aliviar o inchaço e a dor da hemorroida? Quando é que eles podem ser feitos?
Dra. Elaine Almeida – É verdade sim. Eles estão mais indicados no caso da trombose hemorroidária, que é a inflamação da hemorroida. Nesses casos eles são fundamentais.

Viva Mais Viva Melhor – Pomadas para hemorroidas podem ser adquiridas facilmente nas farmácias e drogarias. O paciente pode correr algum risco pelo uso indevido dessas pomadas sem orientação médica, doutora?
Dra. Elaine Almeida – Risco pode ocorrer, porque eles podem ter alergia a formulação da pomada, uma outra coisa que a gente vê bastante é que as vezes eles gastam dinheiro com essas pomadas e quando vai no médico não é hemorroida e tem um gasto desnecessário. O ideal mesmo é que vá no consultório para poder ser bem tratado e acionado com o tratamento clínico deste paciente.

Viva Mais Viva Melhor – Caso a mudança alimentar e as pomadas não solucionem o problema, quais são os métodos de tratamento disponíveis para hemorroidas e como é que é feito cada um deles, doutora?
Dra. Elaine Almeida – Existe o procedimento ambulatorial, alguns procedimentos, mas o mais conhecido e o mais comum é a ligadura elástica, é feita no consultório médico, não precisa de sedação, não é um procedimento doloroso e é um procedimento que resolve bem os casos iniciais da doença hemorroidária e, nos casos mais avançados, é a cirurgia.

Viva Mais Viva Melhor – Qual que é a diferença entre as hemorroidas internas e externas? São tratadas da mesma forma?
Dra. Elaine Almeida – As hemorroidas internas são aquelas que estão dentro do canal anal. As externas você vê essas hemorroidas na borda anal. Normalmente o tratamento é o mesmo. É que a externa tende mais a fazer a complicação a trombose hemorroidária. As internas elas ficam mais inchadas, mas no fundo o tratamento é o mesmo, pode ser tanto clínico quanto cirúrgico, depende do grau também em que elas estiverem.

Viva Mais Viva Melhor – A operação é o tratamento mais eficaz das hemorroidas pois cessa de vez os sintomas. Isso é uma verdade ou é um mito?
Dra. Elaine Almeida – Eu considero um mito porque ela pode resolver aqueles sintomas ali, mas se o paciente mantiver os hábitos intestinais irregulares ele pode vir a desenvolver de novo a doença hemorroidária. Naquele momento ele tratou, mas se ele mantiver o hábito ruim pode aparecer de novo.

Viva Mais Viva Melhor – Quando é que o paciente deve se submeter ao tratamento cirúrgico, doutora?
Dra. Elaine Almeida – Normalmente em hemorroidas grau III e ou IV, que são um pouco mais avançadas.

Viva Mais Viva Melhor – Como é feita a cirurgia de hemorroida? É preciso anestesia, qual é o período de internação necessário?
Dra. Elaine Almeida – Normalmente o paciente é internado de manhã, a gente opera e ele vai embora no final do dia. É tipo uma ‘cirurgia de day’, precisa sim anestesiar, a anestesia varia de acordo com o anestesista, da técnica que você vai usar, tem uma variação.

Viva Mais Viva Melhor – Para finalizar, doutora Elaine, é possível evacuar logo após o procedimento? Como é a recuperação do paciente depois de uma cirurgia?
Dra. Elaine Almeida – É possível e deve evacuar. O paciente não tem que ter medo de evacuar. Claro que vai ser doloroso no início, mas ele tem que evacuar, porque se ele não evacua a tendência do ânus é acabar fazendo uma estenose, estreitando, por causa das cicatrizes que ficam, das feridas operatórias. Então ele tem que evacuar para manter o canal sempre aberto. Realmente é um pouco doloroso na primeira semana, mas tem algumas técnicas hoje em dia que estão sendo utilizadas que diminuem essa dor pós-operatória. Então você tem que ver direitinho com o médico e com cada paciente, cada caso é um tipo de cirurgia e só o médico vai poder indicar.

Viva Mais Viva Melhor – Conversamos com a médica doutora Elaine Almeida, especialista em coloproctologia e colonoscopia. Doutora, muito obrigada e até a próxima.