NOTÍCIAS VIVA MAIS

Você sabe quais são os exames que detectam o câncer de mama?

Tipo de câncer mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, o câncer de mama é o responsável por 28% dos novos casos da doença diagnosticados a cada ano, de acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA). Quando diagnosticado e tratado precocemente, as chances de cura chegam a 95%, por isso, se fala tanto da rotina de prevenção. 

Alguns exames são de fundamental importância para investigar o câncer de mama, tais como, a mamografia, que detecta nódulos pequenos e microcalcificações. O exame é recomendado a partir dos 40 anos para qualquer mulher. Porém, em alguns casos, a partir de 10 anos antes de quando algum parente foi diagnosticado com a doença. Por exemplo, se a mulher tiver uma mãe ou irmã que teve o câncer de mama aos 45 anos, ela deve começar a fazer 10 anos antes, ou seja, com 35 anos.

Já o ultrassom de mama, serve como exame auxiliar, para detecção de nódulos e cistos. “O exame auxilia bastante a mamografia, porque, por exemplo, se for detectado um nódulo na mamografia, o ultrassom pode esclarecer que esse nódulo, na verdade, se trata de apenas um cisto, que é o acúmulo de líquido que se forma dentro da mama e ajuda as pacientes, que precisam fazer uma biópsia ou uma punção, fazer pela ultrassom. Geralmente é mais fácil e mais tranquilo para paciente e, a depender, se tiver algum nódulo ou algum cisto, esse exame pode ser feito a cada 6 meses”, explica o Dr. Marco Antônio Barbosa Filho, médico especialista em Mastologia.

A diferença entre cisto, nódulo e calcificação
"O cisto é uma imagem detectada, geralmente, no ultrassom, que corresponde a um acúmulo de líquido que se forma dentro da mama. Na grande maioria das vezes, não tem relação com nenhum problema em relação ao câncer. Pode causar dor, ter infecção, mas 99% dos casos o cisto não tem relação com o câncer. O nódulo é aquele carocinho que se forma dentro da mama que, em alguns casos, pode ser benigno, o que na maioria das vezes acontece. Mas também pode ser maligno, e aí necessitaria fazer uma biópsia para diferenciar. As calcificações são alterações que também acontecem na mama, só que alguns padrões, alguns tipos de calcificação, são conhecidos como prévios da formação do nódulo, então, o câncer vai se formar alí no futuro. Então detectadas as calcificações, se faz a biópsia para se diagnosticar o câncer ou não". (Dr. Márco Antônio Barbosa Filho)