NOTÍCIAS VIVA MAIS

Suplementos: Quem pode consumir esses produtos?

O uso de suplementos esportivos ainda gera muitas dúvidas nos praticantes de atividades físicas. Porém, a necessidade de se buscar novos recursos tornou-se fundamental na luta diária por resultados positivos no treinamento. Mas você sabe qual suplemento usar no esporte que você pratica? Suplementos esportivos, na maioria das vezes, são vitaminas, minerais ou aminoácidos que complementam uma alimentação balanceada, muito utilizada para pessoas com carência nutricional, que não tenham uma rotina alimentar muito precisa, por conta da falta de nutrientes. Porém, se consumidos de forma indiscriminada, esses suplementos podem prejudicar órgãos como o fígado e o rim. 

“Muita gente acredita que a suplementação alimentar pode ser apenas utilizada em atletas, mas isso é um grande erro. Pacientes que trabalham fora do escritório e que não têm facilidade em comer saudavelmente, não têm uma praticidade no tempo livre, neste caso, uma suplementação alimentar de uma barra de proteína seria muito interessante como estratégia alimentar”, explica  o nutricionista, Victor Bahia. Além disso, a suplementação pode melhorar significativamente a vida dos idosos, pois eles têm uma carência nutricional muito grande e, fazendo uso de uma suplementação prescrita por um médico ou por um nutricionista, ajuda a melhorar a qualidade de vida. Pessoas que têm deficiência de mastigação e deglutição, também podem estar entrando com a suplementação alimentar, que abrange qualquer tipo de pessoa, idade ou sexo.

Nos dias atuais, como as pessoas têm um nível de estresse muito alto e falta de tempo para refeições, os suplementos contribuem para o planejamento alimentar elaborado pelo nutricionista. Além disso, existe a necessidade de melhorar o rendimento esportivo. Porém, é muito importante as pessoas terem um acompanhamento específico para fazer uso destes suplementos.

Um atleta nunca pode ser comparado com uma pessoa sedentária, muito menos em termos de suplementação. A suplementação de um atleta é diferente de uma pessoa iniciante ou de uma pessoa que está começando agora a fazer uma atividade física. O sedentário, antes de utilizar qualquer tipo de suplemento, deve antes passar por uma triagem nutricional ou médica, para avaliar o nível de atividade física que ele vem fazendo, se tem uma boa alimentação e, a partir daí, orientar qual o tipo de suplementação ele vai utilizar. Já o atleta, depende de uma demanda energética muito maior, demanda de suplementação muito maior, pois o gasto metabólico dele é muito maior do que de uma pessoa sedentária. 

É importante ressaltar, que a suplementação nunca deve substituir uma refeição. O corpo humano precisa receber um aporte de alimentos, mastigar, precisa ter um bolo que vai ser formado do estômago para o intestino e uma suplementação nunca vai fornecer isso, pois a maioria delas são líquidas. Uma refeição bem balanceada nunca vai ser substituída por uma suplementação. A suplementação entra para complementar um horário do dia em que não se consegue, de forma alguma, a alimentação de forma correta.

Uma pessoa que nunca foi para o nutricionista e nunca passou por um médico não pode resolver, por conta própria, fazer uso destas substâncias, ela pode correr alguns riscos:
- Os aminoácidos podem desencadear problemas intestinais, hepáticos ou renais; 
- Os termogênicos podem promover taquicardia, que pode levar a uma arritmia, levar à insônia, ter uma disfunção da sua tireoide; 
- O óxido nítrico, em excesso, pode causar problemas respiratórios, vômitos, tremores; 
- Substâncias estimulantes podem causar dependência física e química.

Ainda segundo  Victor Bahia, “toda pessoa deve, antes de praticar atividade física ou resolver melhorar alimentação, procurar um nutricionista. Esse profissional vai orientar o paciente e fazer um cardápio que vai ser especialmente para a sua rotina de vida e para o seu objetivo. Não só todo o praticante de atividade física, mas todo o cidadão que pretende ter uma longevidade saudável. Qualquer pessoa que se consulta com um profissional capacitado - que entenda o seu dia-a-dia, que entenda a sua rotina, que saiba quais são as suas deficiências ou particularidades - pode ter uma qualidade de vida, um bem-estar, uma disposição muito melhor”.