NOTÍCIAS VIVA MAIS

Será que a dieta vegetariana contribui para o meio ambiente?

Os profissionais de saúde têm divulgado os benefícios da dieta vegetariana nos últimos anos. Porém, um novo estudo, publicado na revista Environment Systems and Decisions, sugere que o consumo de frutas, legumes, laticínios e frutos do mar poderia ser prejudicial ao meio ambiente. Os pesquisadores da Carnegie Mellon University, na Pensilvânia, descobriram que, apesar dos benefícios, consumir mais frutas e legumes vai ser prejudicial para o ambiente, porque esses alimentos têm usos altos de recursos e de gás do efeito estufa (GEE) por caloria.

O autor do estudo, Prof. Paul Fischbeck, diz que comer alface "é de três vezes pior nas emissões de GEE do que comer bacon" - observando que muitos vegetais comuns usam "mais recursos por caloria do que se pensa". Curiosamente, ele diz: “legumes, como berinjela, aipo e pepinos exigem mais recursos do que carne de porco ou frango”.

'Complexa relação entre a dieta e o ambiente'

Os pesquisadores analisaram o cultivo, processamento e transporte de alimentos, bem como as vendas de alimentos e armazenamento doméstico, para determinar como elas impactam recursos usando energia e água, e como elas impactam as emissões de GEE.

Os resultados revelaram que manter a epidemia de obesidade em xeque por comer menos calorias, impacta positivamente o ambiente através da redução de energia e uso de água e reduz as emissões de GEE em cerca de 9%. Por outro lado, no entanto, comer os alimentos mais saudáveis, como recomendado - o que inclui frutas, legumes, laticínios e frutos do mar -, causa impacto negativo sobre o meio ambiente, aumentando o uso de energia em 38%, o uso de água em 10% e as emissões de gases de efeito estufa por 6%.

"Há uma relação complexa entre a dieta e o ambiente. O que é bom para nós nem sempre é o melhor para o meio ambiente”.