NOTÍCIAS VIVA MAIS

Radiologia Intervencionista garante tratamentos mais rápidos e eficazes

Especialidade médica pouco conhecida, a radiologia intervencionista garante tratamentos mais rápidos e eficazes para diversos tipos de doença. É um procedimento minimamente invasivo, guiado por métodos de imagem (os raios-X são a principal ferramenta para guiar os médicos), ou seja, com incisões menores, riscos reduzidos, menos dor e menor tempo de recuperação. É uma alternativa às cirurgias mais complexas, que exigem grandes cortes e anestesia mais profunda. 

“Existiram diversos pioneiros nesta especialidade, sendo que o primeiro registro médico de um tratamento feito através da radiologia intervencionista foi em 1964, pelo doutor Charles Dotter, nos Estados Unidos. Na época, ele conseguiu salvar a perna de uma paciente desfazendo a obstrução de uma artéria por dentro da mesma, sem a necessidade de uma cirurgia aberta”. (Dr. André Goyanna, médico especialista em radiologia intervencionista) 

A criatividade, junto com a necessidade de se alcançar métodos de tratamento menos invasivos tão eficazes ou melhores quanto os cirúrgicos, impulsionou o desenvolvimento da especialidade Radiologia Intervencionista. Em geral, os procedimentos são realizados utilizando-se as vias naturais do corpo humano: através de uma pequena punção (abertura) na pele se tem acesso às veias e artérias do organismo e assim pode-se navegar e chegar à região ou órgão a ser tratado. Para realizar o procedimento minimamente invasivo, “utiliza-se um aparelho denominado de angiógrafo, também chamado de hemodinâmica, que permite visualizar, ao vivo, o que está acontecendo por dentro do paciente, guiando o médico até o local onde deve ser feito o tratamento. O ultrassom e a tomografia computadorizada também podem ajudar em outros tipos de tratamento, porém são mais restritos”, explica o Dr. André Goyanna.

A Radiologia Intervencionista é utilizada para diagnóstico e tratamento, literalmente, da cabeça aos pés. Pode-se tratar aneurismas cerebrais, tumores malignos no fígado, miomas uterinos, varicoceles, sangramento profundo, estreitamento e dilatação em vasos sanguíneos em diversas regiões do corpo humano, apenas com uma pequena punção na região da virilha, e sem a necessidade de pontos. É uma especialidade em constante evolução e o Brasil faz parte deste universo. Um trabalho científico pioneiro, realizado na USP (Universidade de São Paulo), vem demonstrando o benefício da embolização no tratamento de alguns pacientes com aumento benigno da próstata. Outro, realizado nos Estados Unidos, evidenciou, em pacientes obesos, que a embolização de parte do estômago pode funcionar da mesma maneira que uma cirurgia bariátrica.

Vale ressaltar que, hoje em dia, a Radiologia Intervencionista é uma peça fundamental em qualquer hospital que atenda pacientes de média e alta complexidade. Por isso, o profissional é integrado em uma equipe multidisciplinar, servindo assim, como apoio para diversas especialidades médicas, tais como a neurocirurgia, a cirurgia geral, a gastro-hepatologia, a oncologia, a urologia, dentre outras. “Em resumo, o papel do Radiologista Intervencionista é se dispor a atender e tratar a doença do seu paciente sempre da melhor maneira e, sobretudo, da maneira menos invasiva”, finaliza Dr. André Goyanna.