NOTÍCIAS VIVA MAIS

Miomas: O que toda mulher precisa saber

Foi diagnosticada com um mioma? Saiba que ele é muito comum, nem sempre causa infertilidade, não tem nada a ver com câncer e, às vezes, dispensa tratamento. Os miomas aparecem, geralmente, na idade fértil da mulher, ou seja, desde a primeira menstruação até a menopausa, com predomínio em torno dos 40 anos. Abaixo dos 20 anos e próximo da menopausa o aparecimento de miomas é muito raro. 

O mioma é um tumor benigno que, diferente do câncer, não tem um potencial de se espalhar para outros órgãos, de invadir estruturas vizinhas, nem de metastatizar, ou seja, ir parar em outros órgãos do corpo. Ele pode surgir em qualquer lugar do útero e, no geral, as mulheres têm vários e em fases distintas. As dimensões variam de nódulos milimétricos, que não causam danos, aos de 20 centímetros de diâmetro, quase do tamanho de uma bola de futebol.

“A maioria dos miomas é identificada em exames de rotina. Só vale a pena tratar aqueles que estão dando sintomas, porque são nódulos benignos e que não tem potencial de agressividade, de ir para outro órgão ou de causar a morte. No caso dos miomas pequenos e assintomáticos, apenas o acompanhamento é necessário”. (Dr. André Goyanna, médico especialista em radiologia intervencionista)

Os miomas, na maioria das vezes, são identificados em exames de imagem (principalmente a ultrassonografia). No entanto, aquelas pacientes que não se submetem a exames periódicos, podem ser flagradas ou surpreendidas com sangramento, dor no pé da barriga e vontade excessiva de ir ao banheiro urinar, sintomas comuns provocados pelos miomas. 

Vale destacar, que os miomas que não causam danos, são observados periodicamente e dispensam intervenções. Havendo sintomas, vale a pena cuidar. “Umas das técnicas é a embolização do mioma, que tem risco semelhante a qualquer outra cirurgia, sendo que o período de recuperação é inferior a diversos outros procedimentos e pode ser feita em pacientes de qualquer idade.Se a paciente tem 50, 60 anos e está sintomática, ela pode ser submetida, sim, à embolização. Assim como a paciente jovem, que tem como a única alternativa a embolização para conseguir tratar de maneira eficaz e segura aquele mioma, é um procedimento médico consagrado no mundo inteiro”, finaliza Dr. André Goyanna.