NOTÍCIAS VIVA MAIS

Lipoaspiração não é tratamento para obesidade

Cirurgia plástica mais realizada no Brasil, a lipoaspiração sempre foi alvo de muitas incertezas e receios. O método que remodela áreas específicas do corpo, removendo o excesso de gordura, sem deixar marcas, é o preferido entre as mulheres. Porém, existem diversos mitos relacionados ao tratamento estético das famosas ‘gordurinhas localizadas’. 

O que muitos ainda não sabem é que a lipoaspiração funciona para retirar a gordura localizada e não é um procedimento para o paciente emagrecer. Para se realizar a cirurgia com segurança, o médico só pode retirar em torno de 6% do peso corporal. Portanto, o paciente vai perder em torno de 2 a 4 quilos, no máximo. 

Ou seja, quem está apto para realizar a lipoaspiração são aquelas pessoas que, apesar de boa saúde e da prática de exercício físico, podem, ainda, ter um corpo com contornos desproporcionais devido a depósitos de gordura localizada. Pacientes obesos só vão para o cirurgião plástico depois que emagrecem e estão com o peso adequado. 

A médica, Andréa Strauch, especialista em cirurgia plástica, diz que “a lipoaspiração pode ser usada para tratar acúmulos de gordura em várias partes do corpo, incluindo coxas, braços, pescoço, cintura, costas, parte medial do joelho, peito, bochechas, queixo, pernas e tornozelos” e que “indivíduos com áreas de gordura localizada no corpo e que se exercitam regularmente são os melhores candidatos a este procedimento”.