NOTÍCIAS VIVA MAIS

Inseminação Intrauterina X Fertilização In Vitro

Para muitos casais, a técnica de reprodução assistida se torna uma das alternativas para que consigam realizar o sonho de ter filhos. Contudo, os métodos ainda geram muitas dúvidas. Qual é a diferença da fertilização in vitro para a inseminação artificial? Qual o melhor procedimento? Por isso, convidamos a Dra. Ana Paula Leal, médica especialista em ginecologia e obstetrícia, pós-graduada em reprodução assistida, para esclarecer as principais dúvidas sobre o assunto.

A idade é um fator crucial, principalmente na fertilidade da mulher. “As mulheres já nascem com uma quantidade específica de óvulos e os vão perdendo ao longo da vida. Esses óvulos vão também envelhecendo e perdendo a qualidade a partir dos 35 anos”, revela a Dra. Ana Paula Leal. É importante destacar, que hoje existem técnicas para se fazer o congelamento tanto do sêmen quanto dos óvulos para serem usados futuramente. 

Por isso, o que vai indicar a preferência do médico por um método ou outro, na hora de iniciar o tratamento, é a complexidade da dificuldade do casal em engravidar. A Inseminação Intrauterina, por exemplo, é um procedimento de baixa complexidade.O homem faz a coleta do sêmen, que será preparado a fim de melhorar a qualidade e a concentração dos espermatozoides, para ser depositado, através de um cateter dentro do útero da mulher. “Na verdade, encurta-se o caminho do espermatozoide até a chegada dentro do útero e, a partir daí, os espermatozoides vão em direção às trompas para fazer o encontro com o óvulo”, acrescenta a Dra. Ana Paula.

Já na Fertilização In Vitro, usam-se medicações para estimular o ovário a fim de se conseguir uma quantidade maior de óvulos. Quando esses folículos estão num tamanho maduro, é feita a coleta dos óvulos, que serão levados para o laboratório. “Artificialmente, é feito o encontro do óvulo com os espermatozoides. Depois que estes embriões são formados, são transferidos para dentro do útero da mulher para ela ter a oportunidade de gestar”, explica a Dra. Ana Paula.

Infelizmente, nenhum tratamento de infertilidade tem chance de 100%. A taxa de sucesso vai depender de um conjunto de fatores, como a idade da mulher e o diagnóstico da infertilidade. “Em linhas gerais, se consegue chegar até 60% de chance de gravidez, então, aumenta bastante a possibilidade do casal conseguir a gravidez tão desejada”, finaliza Dra. Ana Paula Leal.