NOTÍCIAS VIVA MAIS

Catarata tem tratamento simples e rápido

Vista embaçada, sensibilidade à luz e alteração da visão de cores são alguns dos sintomas provocados por quem desenvolve a catarata, principal causa de cegueira ‘evitável’ do mundo. Porém, essa é uma causa de cegueira reversível. Faz-se a cirurgia, que é o tratamento da catarata e, então, restabelece-se a visão. 

A catarata faz parte do envelhecimento natural do cristalino, ou seja, todo mundo um dia vai desenvolver a doença. Existem alguns fatores que causam uma predisposição mais precoce de catarata. Algumas pessoas chegam a desenvolver a doença aos 50, 60 anos de idade, outras aos 70, 80 anos, então, é prudente evitar a exposição a radiação solar, utilizar óculos de sol com proteção ultravioleta e ter hábitos de vida saudáveis. 

A cirurgia da catarata é rápida, segura, é feita através de uma micro incisão na córnea, em média de 2,2 a 2,5 mm de comprimento, a cirurgia não dá ponto no olho, é super-rápida e segura. Vale ressaltar que, “ao contrário do que muita gente desconfia, o olho não fica saltado para fora durante o procedimento, não remove o globo ocular da cavidade orbitária para fazer a cirurgia, nada disso, é feita apenas com a abertura das pálpebras, coloca-se um aparelho que chama-se blefarostato, que mantém as pálpebras abertas e, então, o cirurgião, através do micro bisturi, faz a incisão na córnea, que podem ser feitas até com laser. Não sangra, porque a córnea é um tecido avascular, é feito a facoemulsificação, a  aspiração do cristalino e por essa mesma incisão de 2,0 mm é injetada uma lente intraocular. Essa lente vem toda enroladinha no injetor, a medida que ela é injetada dentro do olho, ela se abre e fica na posição”, explica o Dr. Daniel Braga, médico especialista em oftalmologia. 

A recuperação visual se inicia nas primeiras 24 horas após a cirurgia. A depender do estágio que se encontra a catarata, com 15 dias pode-se ter o retorno total da visão. Um dos grandes propósitos na cirurgia de catarata é corrigir o grau do olho, o grau da miopia e da hipermetropia e, até mesmo, do astigmatismo, no momento da cirurgia. “Quando se remove o cristalino, é preciso substituí-lo por uma lente intraocular, que fica dentro do olho pro resto da vida e já tem tecnologia suficiente para calcular o grau do olho. Então, após a cirurgia, o paciente não necessita mais de usar os óculos. Hoje é o que existe de mais moderno e mais eficaz na cirurgia de catarata”, acrescenta Dr. Daniel Braga.

É importante destacar, que a partir do momento que se remove o cristalino doente, ele não existe mais. Então, se não tem mais o cristalino, o paciente não terá mais a catarata.