NOTÍCIAS VIVA MAIS

Artroscopia, técnica indicada para tratar lesões no quadril

Procedimento cirúrgico, minimamente invasivo, realizado com pequenas incisões na pele, a artroscopia de quadril é uma técnica mundialmente conhecida para eliminar a dor e permitir que o paciente use seu quadril natural pelo máximo de tempo possível. Através da artroscopia é possível tratar lesões e patologias que envolvem o quadril, tais como: impacto femoroacetabular, lesões condrolabrais, drenagem de pioartrite e tratamento das doenças sinoviais. Cada vez mais, estão sendo estudadas novas indicações, como o reparo do ligamento redondo, reparo dos tendões glúteos, entre outras técnicas. 

“Existem algumas contraindicações para a realização da artroscopia do quadril, tais como: quando não se tem um espaço articular adequado, com uma artrose avançada; na anquilose, quando o quadril está fusionado naturalmente; na artrodese, quando a fusão é feita cirurgicamente; ou na artrofibrose. Além disso, infecção superficial próximo aos portais de entrada também constituem uma contraindicação”. (Dr. Lauro Magalhães, médico ortopedista e especialista em quadril)

Quando se tem uma artrose já estabelecida, com grande perda da cartilagem e até deformidade da articulação, a artroscopia não terá um resultado tão satisfatório. O médico, geralmente, costuma conversar com o paciente, indicando alguma outra atividade que não lhe cause dor. Determinados esportes de impacto irão causar, cada vez mais, degeneração da articulação e, consequentemente, cada vez mais dor. Por isso, cabe ao paciente decidir se vai continuar ou não.  Vale lembrar, que as fraturas também não são tratadas por este método ainda.

Por ser um procedimento minimamente invasivo, a perda sanguínea é mínima, as cicatrizes são pequenas, o paciente sente menos dor no pós-operatório e, consequentemente, a reabilitação torna-se mais rápida. “Normalmente, são feitos dois cortes na pele, mas, a depender da patologia, podem ser feitos alguns outros. Porém, são cortes pequenos, de aproximadamente 1,0 cm cada. Após elas estarem cicatrizadas ficam muito pouco perceptíveis”, explica o Dr Lauro Magalhães.

É importante destacar, que a artroscopia já está amplamente difundida nas especialidades de joelho e ombro. Nos últimos anos, também já estão sendo realizadas para as articulações do punho, cotovelo, tornozelo e até cirurgias endoscópicas de coluna. Estes avanços na ortopedia possibilitam tratar de diversas patologias, com pequenas incisões, retorno mais rápido ao esporte e ao trabalho e com baixas taxas de complicações.