NOSSAS ENTREVISTAS

Tema: Tensão Pré-Menstrual

 (071) 34... Ver mais >

Tensão Pré-Menstrual (TPM)

Olga Goulart - Muitos homens acham que as mulheres inventam, mas, você sabia que a tensão pré-menstrual, a famosa TPM, não é frescura da mulher? Aqueles dias em que estamos, assim... 'com os nervos à flor da pele', pode ocorrer em qualquer idade, entre a primeira e a última menstruação, e é mais frequente do que se imagina. Em alguns casos, inclusive, impossibilita o trabalho, o estudo, o lazer e até afeta os relacionamentos. Apesar dos sintomas serem bastante conhecidos, muitas dúvidas ainda surgem a respeito do assunto e, para esclarecê-las, quem conversa conosco hoje é o médico Alan Coutinho, especialista em ginecologia e obstetrícia. 

Doutor, primeiramente esclareça, para o público masculino, sobretudo, a seguinte questão: a tensão pré-menstrual é invenção, é frescura da mulher? O que é a TPM, doutor?
A TPM ou transtorno pré-menstrual é uma condição verdadeira, que envolve herança genética e ocorre modificações nos neurotransmissores do cérebro, sendo causada por um desequilíbrio na quantidade dos hormônios sexuais.

As mulheres que tem TPM, sofrem o mesmo preconceito daqueles com outras doenças mal definidas, que não possuem um teste diagnóstico para mostrar o resultado para as outras pessoas.

Talvez, se o homem sangrasse todo mês, e tivesse variações hormonais, ele entenderia o que sofre a mulher, mas o homem todos os dias da vida produz quantidades constantes de hormônios sexual, já a mulher sofre variações hormonais todos os dias. 

Para entender as variações hormonais, costumo comparar o ciclo menstrual às fases da lua, onde o ciclo de fertilidade da mulher é semelhante ao ciclo da lua, pois os dois, ocorrem 1 vez a cada mês sendo em média a cada 28 dias. No primeiro dia da menstruação é  igual a lua nova, você não encontra a lua no céu nem os hormônios sexuais no sangue da mulher. Então, a lua começa a crescer, e os hormônios também começam a aflorar a cada dia, produzindo cada vez mais e mais hormônios, até chegar no décimo quarto dia, é quando a lua está cheia, e  a mulher pode ficar fértil e ovular, sendo nesta fase que o seu esplendor máximo acontece, pois o sangue está repleto de hormônios sexuais, tornando a  fêmea tão atrativa e irresistível ao macho. Nesta fase, se ela sexo e engravidar, então os hormônios continuam elevados durante toda a gravidez, acontecendo o milagre da vida, mas, se ela não for fecundada, nas próximas duas semanas ela vai deixando gradualmente de produzir os hormônios, o que pode levar a alterações físicas, emocionais e comportamentais características da TPM. 

Portanto,  homens: a TPM não é frescura, muito menos invenção da mulher, hoje em dia todo homem sabe que isso acontece, ele pode não entender, por que nunca vai menstruar na vida, mas o homem moderno, tem que reconhecer as variações emocionais que ocorrem na mulher e procurar ser compreensivo. 

Olga Goulart - E por que a mulher fica estressada nessa época? Qual a explicação para essa mudança de humor?
A TPM é um fenômeno do século XX. Em parte, devido ao fato que a mulher deixou de ter muitos filhos para ter apenas um, dois e, às vezes, até nenhum. Isso acabou eliminou os ciclos de gravidez e aleitamento que antes caracterizavam a vida das mulheres.

Antigamente as mulheres menstruavam 5 a 10 vezes durante toda a vida, contudo hoje a mulher moderna tem apenas um ou dois filhos, isso faz com que ela sangre  em média umas 400 vezes até chegar na menopausa, quando a menstruação suspende. 

Esta grande quantidade de sangramento inútil, leva ao desequilíbrio dos níveis hormonais, causando principalmente um descontrole dos níveis de serotonina no cérebro. A serotonina é um hormônio utilizadas pelos neurônios e que nos dar estabilidade emocional, felicidade, tranquilidade entre outras coisas mais, e devido às variações hormonais, ora a serotonina é produzida em grande quantidade durante o período fértil, ou em pequenas porções no período pré menstrual. Então, quando os níveis de serotonina estão altos, ficamos estáveis, tranquilos, felizes e bem-humorados. Mas quando eles caem, ficamos mal-humorados, irritados, deprimidos e com uma vontade enorme de comer doces.

Mas o que explicaria o porquê, de algumas mulheres sentirem mais TPM que as outras? Na verdade, todas as mulheres vão sentir algum grau de TPM, pois todas as mulheres sofrem variações na produção dos hormônios durante o ciclo mensal de fertilidade, a grande diferença entre elas  depende de vários fatores como, por exemplo: Número de gestações e amamentação , quanto menos se engravida mais se sangra e mais se tem a possibilidade de ter TPM; Herança genética, sabe-de que mães com TPM tendem a gerar filhas com maior probabilidade de ter TPM; Idade, Mulheres por volta dos 35 anos tendem a ter sintomas mais intensos.

Por outro lado mulheres que cultivam hábitos como: meditação, exercícios físicos e alimentação baseada em vegetais integrais orgânicos, reduzem de forma bastante significativas a intensidade dos sintomas.

Olga Goulart - Quais são os possíveis sintomas da TPM?
A lista de sintomas da TPM é enorme, na literatura médica são relatados mais de 100 sintomas físicos, psicológicos ou comportamentais. Os sintomas geralmente são mais intensos no dia anterior e no primeiro dia da menstruação. Os mais comuns são: descontrole emocional, irritabilidade, ansiedade, depressão, inchaço, explosão de raiva, isolamento social, dor pélvica, enxaqueca, diarréia, prisão de ventre, dor nas mamas, acne, cãibra, angústia, cansaço, insônia, compulsão alimentar, cólicas e medo de ser rejeitada. A lista é enorme!

Uma mulher típica com TPM, começa a consulta médica falando que ela é uma pessoa super produtiva e estável emocionante durante a maior parte do mês. No entanto, em algum momento após a ovulação, ela começa a acordar se sentindo irritada, raivosa, ansiosa ou com tristeza. No trabalho ou na escola, ela pode sentir sentimentos de paranóia e começar a achar que os colegas estão pegando no pé dela e estão contra ela. Muitas vezes, ela diz ter dificuldade em se concentrar na tarefa mais simples que antes tinha tanta habilidade em fazer. Ela também afirma que reage em excesso às coisas que seus filhos normalmente fazem, e isso a faz se sentir como uma mãe maldosa ou amiga péssima. Ela pode sentir-se para baixo, mas não consegue entender o porquê, pois ela sabe que  tem um bons amigos, um bom esposo, que tem um bom trabalho e filhos saudáveis, ela simplesmente não entende porque aquilo está acontecendo. As coisas menores que seu marido  diz, podem ser suficientes para desencadear uma discussão, e nada que o marido diga pode tranquilizar. Embora, na verdade, o que ela mais gostaria  é de ser consolada e compreendida nesses momentos. 

Olga Goulart - Quantos dias duram a TPM, doutor, e em que momento ela acontece? Por exemplo, vamos falar em dias: se ela for menstruar no dia 20, quando ela entrará nesse período?  
Os sinais da TPM iniciam 1 a 2 semanas antes da menstruação, sendo mais intensos no dia anterior ou no primeiro dia da sangria. Cada mulher tem um ciclo diferente no número de dias, sendo em média 28 dias cada ciclo, contudo para simplificar o entendimento costumo dividir o ciclo menstrual em 4 semanas:

- Primeira semana: É a fase menstrual, ocorre de 2 a 7 dias de sangria, fase no qual os hormônios sexuais começam a serem produzidos pelos ovários e os sintomas da TPM desaparecem. 
- Segunda semana:É a fase pré ovulatória. Nesta fase, a mulher se encontra no auge da sua fertilidade com os hormônios em seus maiores níveis, se tornando super atraente, irresistível para os machos, pois é nestes dias que ela está mais fértil e ovulando.
- Terceira semana: É a fase pós ovulatória. Nesta fase, se a mulher, na semana anterior, fez sexo com camisinha ou não fez sexo então ela não foi fecundada,  fazendo com que os ovários diminuam a produção dos hormônios sexuais,  ocorrendo as modificações no corpo e na mente da mulher, é quando começa os primeiros sintomas do Transtorno Pré menstrual.
- Quarta semana: É a fase pré-menstrual, nesta fase se a missão reprodutiva que a natureza tinha programado para acontecer, ou seja, se ela não engravidou, então o útero aborta o ovo não fecundado, por meio de uma sangria menstrual, isso acontece para que um novo ciclo de fertilidade se inicie.  

Olga Goulart - E quando desaparecem os sintomas? Quando saber que aquele período foi, realmente, uma TPM?
Um jeito prático é fazer anotações em um diário. Normalmente, os sintomas pré-menstruais aparecem após a ovulação e pioram progressivamente até a sangria menstrual. A mulher precisa, então, conhecer seu corpo e sua emoções, sendo que escrever um diário é uma maneira simples e prática de autoconhecimento. Veja só,  se ela anotou no diário que, durante 3 meses consecutivos e, exatamente, após duas semanas da sangria apareceram sinais de descontrole emocional ou alterações físicas. E que quando a menstruação chegou, ou após ela ter ido embora, o alívio e bem estar retornaram, então provavelmente o que ela tem é TPM.  Por outro lado, se a menstruação acabar e os sintomas emocionais ou físicos continuarem com a mesma intensidade, então ela deve pensar em outros diagnósticos, isso por que toda TPM acaba com ao fim da sangria.

Hoje em dia, na era dos celulares e da internet, existem diversos aplicativos que podem ajudar a conhecer cada fase do ciclo hormonal,  esse é um jeito fantástico de autoconhecimento, então a mulher é capaz de perceber quando a TPM vai chegar, podendo, assim, se preparar para tomar as decisões assertivas. Por exemplo: É melhor não agendar compromissos importantes nos dias de tensão, porque, provavelmente  você poderá tomar decisões erradas. Tente marcar para outros dias por que, geralmente, uns dias após a sangria você estará melhor e poderá tomar decisões mais assertivas.

Olga Goulart - Com relação à faixa etária, a TPM é mais comum nos jovens ou entre as pessoas mais velhas?
Costumo afirmar que basta a mulher menstruar que a TPM acontecerá. Só não tem TPM a menina que não menstruou, a mulher que engravidou ou que na menopausa entrou. As que menstruam, os sintomas que mais incomodam são diferentes de acordo com a idade e, geralmente, a mulher só procura ajuda médica depois dos 30  ou 40 anos, depois de ter sofrido por vários anos com sangrias inúteis. Portanto, a TPM pode afetar a maioria das mulher em qualquer estágio da vida reprodutiva. 

A crença comum de que a TPM é uma desordem da mulher mais velha, pode ser do fato de que as mudanças de humor na adolescente são menos propensas a ser consideradas um efeito da menstruação, sendo mais atribuídas às desordens e rebeldia de adolescentes que querem chamar a atenção. Na adolescente o que mais as incomoda são as cólicas, dores de cabeça, a falta de concentração e a insegurança para poder realizar provas físicas ou intelectuais. Dos 30-40 anos, principalmente depois de não ter engravidado e amamentados e consequentemente ter sangrado mais de uma centena de vezes, pode ocorrer o aumento nos sintomas da TPM com  piora  significativa dos sintomas de dor de cabeça, irritabilidade e descontrole emocional. 

Olga Goulart - A alimentação pode influenciar nos sintomas da TPM? Muitas mulheres dizem que, nessa fase, têm uma vontade louca de devorar uma caixa de chocolate. Os doces podem mesmo ajudar, doutor?
Hipócrates o pai da medicina já nos ensinou há 2 mil anos atrás: “ Faça do seu alimento o seu remédio.” E, para isso, é preciso saber consumir pequenas quantidades e escolher alimentos de qualidade. Por exemplo, no caso de alimento enriquecidos com cacau existe os achocolatados e o chocolate amargo. Os achocolatados levam a uma euforia rápida, mas não duradoura, pois possuem enormes quantidade de açúcar e sal, levando a mulher sempre a querer mais, podendo, assim, engordar e ficar inchada. O ideal, então, é consumir pequenas quantidade de chocolate amargo, que contêm maiores teores da semente do cacau. Alguns componentes químicos da semente do cacau estimulam o cérebro a produzir serotonina, substância responsável pela sensação de bem estar e felicidade. É rico em Vitamina B6, que está envolvido na integridade das células do cérebro. Em Cálcio, que provou ser benéfico em relação ao inchaço, na dor, no humor e nas ânsias alimentares. Em Magnésio, que desempenha um importante papel na estabilidade elétrica da membrana celular, na condução dos impulsos elétricos dos neurônios e na força dos músculos. Além de Flavonóides, que são substâncias antioxidantes, que possuem o poder de desinflamar o corpo. Mas é preciso fazer uma ressalva, pois pessoas com espinhas podem piorar da acne ao consumir o chocolate. Por isso, moderação deve ser sempre considerada.

Olga Goulart - Além da alimentação, existem outras dicas para passar por esse período de uma maneira mais bem humorada, sem aquele estresse?
A primeira dica é : diminuir ou parar de sangrar inutilmente, as dicas seguintes são complementares:
- Primeiro é fundamental que mulher com TPM aprenda a se conhecer, saber que se ela optar por continuar a ovular e menstruar as alterações hormonais, emocionais e físicas poderão acontecer, sendo possível encontrar maneiras de aceitar ou diminuir os sintomas.
- Tradicionalmente, recomenda-se o exercício aeróbico, particularmente se os sintomas depressivos ou de retenção de líquidos predominarem. A eficácia do exercício é o resultado de níveis elevados de endorfina, alterações fisiológicas, alterações psicológicas ou combinações destes.
- Quando a mulher está sofrendo em um grau que exige mais do que simples aconselhamento, as medidas destinadas a modificar o estilo de vida devem ser exploradas. Ela deve ser encorajada a discutir o problema com aqueles indivíduos que são fundamentais para sua vida, incluindo os amigos , o marido, os familiares e os colegas de trabalho. Muitas vezes, as brigas e discussões podem ser evitados se as pessoas souberem a causa de sua perturbação, e assim deixa a discussão do assunto controverso para outro momento. 
- As habilidades de comunicação e a assertividade podem ser melhoradas com o aconselhamento e terapia Cognitiva Comportamental em um programa supervisionado por um psicólogo clínico. 
- Para algumas mulheres, 5 em cada 100, os sintomas pré-menstruais podem durar três semanas completas, e aconselhá-las a restringir suas atividades importantes aos dias restantes do mês não é útil nem justificado. Nestas situações, a individualização de cada caso às intervenções como antidepressivos para ajuste dos níveis de serotonina no cérebro ou  terapia hormonal destinadas a equilibrar os hormônios sexuais e diminuir ou suprimir a menstruação podem ser as opções mais apropriada.

Olga Goulart - Quando uma mulher chega em seu consultório com queixas de TPM, como faz para ter certeza de que se trata mesmo desse problema? Há exames para diagnosticar o problema?
Não existe  exames para poder dar o diagnóstico de TPM, e talvez por isso, as mulheres que sofrem de TPM também sofrem o mesmo preconceito de pessoas com doenças mal definidas, que não possuem um teste diagnóstico para provar para as outras pessoas que isso não é invenção da sua cabeça. No consultório médico, na sua avaliação diagnóstica deve incluir alguns pontos importantes que devem ser observados:
- Os sintomas devem  ser suficientemente intensos a ponto de interferir  com o funcionamento social, ocupacional, sexual ou escolar.
- Os sintomas devem se repetir por mais de duas sangrias.
- Os sintomas devem desaparecer quando a menstruação chega ao fim.
- Devem ser pesquisados outros transtornos  emocionais a exemplo de: depressão, transtorno de ansiedade ou pânico.
- Alguns exames são necessários para avaliar outras condições que podem piorar ou simular os sintomas da TPM, por exemplo: anemia, alterações hormonais da  tireoide, da glândula suprarrenal e da glândula pineal.

Após uma análise detalhada, o diagnóstico é dado, e o tratamento iniciado de acordo com as particularidades individuais de cada mulher.

Olga Goulart - Existe alguma maneira de não passar pela TPM? 
Sim, por meio de engenharia genética. No futuro, poderemos selecionar filhas com um sistema imunológico mais forte que o normal, com uma memória acima da média, com um humor especialmente bom e sem Tensão Pré Menstrual, pois quem sabe elas nem vão mais menstruar, podendo assim guardar seus óvulos apenas para serem geneticamente aprimorados e fecundados quando for oportuno.

Mas enquanto o futuro não chega, o  primeiro passo para tratar a TPM e acabar com o M, ou seja é fazer o óbvio, para acabar com a tensão pré menstrual é preciso atenuar ou parar a menstruação. A suspensão ou atenuação da menstruação pode ser conseguida por meio de exercícios físicos diários e dieta baseada em vegetais integrais, capazes de levar a uma diminuição da gordura e um aumento da musculatura, sendo chamada de amenorréia das mulheres atletas.  

Outra forma é uso de terapia medicamentosa com uso de gel com progesterona isomolecular, anticoncepcionais orais, injetáveis ou por meio de implantes. Tratamentos complementares também podem ser iniciados, a exemplo de:
- Reeducação alimentar, aprendendo a ingerir alimentos ricos em cálcio, vitamina B6, magnésio e evitar alimentos ricos em carboidratos de alto índice glicêmico, sal refinado,  cafeína e álcool.  
- Para alívio dos sintomas de dor podem ser realizados compressas frias, analgésicos, antiinflamatórios e Acupuntura.
- Para os sintomas emocionais em casos leves a moderados pode ser feita Terapia Cognitiva Comportamental ou Técnicas de Meditação, e nos casos mais graves avaliação para o uso de antidepressivos.
- Para os casos de inchaço: beber muita água, alimentação adequada, exercícios físicos e em alguns casos o uso diuréticos. 
- E nos casos mais graves, crônicos e sem melhora com os tratamentos anteriores, pode se avaliar uso de implantes hormonais de Gestrinona ou Nestorone, que possuem alta eficácia na suspensão da menstruação e na regulação dos níveis hormonais. 

Olga Goulart - Há mulheres em que a TPM é, praticamente, inexiste e aquelas que sofrem muito nessa fase, a ponto de prejudicar a vida pessoal e profissional e, até mesmo, entrar em depressão. Isso, realmente, pode acontecer, doutor? O que fazer nesses casos?
Existe a TPM (Tensão Pré menstrual) e a TDPM que significa Transtorno Disfórico Pré-Menstrual. A TDPM é um diagnóstico usado pelos médicos psiquiatras para indicar um descontrole emocional  pré-menstrual grave. Acredita-se que 5 em cada 100 mulheres sofre de TDPM. A TDPM é caracterizada por depressão profunda, descontrole emocional extremo, ansiedade extrema, irritabilidade associado a uma raiva incontrolável ou outros sintomas que iniciam exclusivamente 2 semanas antes da menstruação, e sempre melhoram no início ou ao término da sangria.

As mulheres mais gravemente afetadas relatam que os sintomas começam logo após a ovulação e resolvem completamente no final da menstruação. Essas  mulheres geralmente relatam ter apenas uma "boa semana" por mês, resultado em uma condição que pode assumir a aparência de um transtorno de humor crônico.  Também pode aparecer com outros sintomas a exemplo de:
- Fome descontrolada, excesso no consumo de alimentos doces ou salgados.
- Sonolência ou falta de sono excessivo.
- Uma sensação emocional de estar sobrecarregada ou de ficar totalmente fora de controle.

Os sintomas devem ser suficientemente graves para interferir no relacionamento com o marido, com o chefe, com colegas de escola ou trabalho, com os familiares ou até mesmo com os filhos. A TDPM é uma condição severamente angustiante e incapacitante que requer tratamento profissional para corrigir os distúrbios hormonais e suspender a sangria menstrual.  

Olga Goulart - Para finalizar, doutor, Quando a mulher vai se aproximando da menopausa, as TPM’s continuam ou há algum outro desequilíbrio hormonal?
Quando a mulher entra na menopausa a sangria para e a TPM acaba. Os sintomas da TPM ocorrem em ciclos, pois a TPM é causada pelas variações hormonais que acontecem durante o ciclo menstrual, já na menopausa os sintomas são constantes, pois a menopausa é caracterizada pela  ausência ou diminuição dos hormônios sexuais. 

Contudo, mulheres que sofreram com tensão pré menstrual, geralmente sentem sintomas mais intensos na menopausa, portanto sentem mais calores, tem mais depressão, tem maiores riscos de desenvolver diabetes e devem ser preferencialmente tratadas com reposição hormonal isomolecular em doses fisiológicas, o mais precocemente possível,  para se aproveitar o que chamamos de janela de oportunidade, que é o período antes dos 60 anos e até 10 anos depois de ter a acontecido a  última menstruação.

Quando se inicia a reposição hormonal na janela de oportunidade são obtidos os melhores os resultados, então melhor fica a libido, a umidade vaginal, a maciez da pele, das formas femininas, do sono, da memória e menores são as possibilidades  de desenvolver osteoporose, doenças cardiovasculares, depressão e diabetes. Por isso, a reposição hormonal isomolecular em doses fisiológicas pode ser uma das partes importantes para manter a qualidade de vida da mulher, dando mais vida aos anos de vida de uma vida longa e saudável. 

Olga Goulart - Conversamos com o médico Alan Coutinho, especialista em ginecologia e obstetrícia. Muito obrigada e até a próxima oportunidade!