NOSSAS ENTREVISTAS

Tema: Exames da Mama

 (071) 33... Ver mais >

Olga Goulart – Consultar o seu médico e fazer exames preventivos é sempre a melhor maneira de diagnosticar doenças de forma precoce. Hoje nós daremos destaque às mulheres e a preocupação com o câncer de mama, um tumor maligno que mais leva as brasileiras a morte. Alguns exames são de fundamental importância para investigação dessa doença e por conta disso convidamos doutor Marco Antônio Barbosa Filho, ele é especialista em mastologia, para explicar pra gente sobre cada um deles, além de esclarecer as dúvidas mais frequentes sobre o assunto. Primeiramente doutor, explica para nossos ouvintes, a partir de que idade a mulher deve começar a fazer os exames das mamas?
Doutor Marco Barbosa – A recomendação de fazer a mamografia, né? Que é o exame mais importante para detecção do câncer de mama, a partir dos 40 anos para qualquer mulher ou a partir de 10 anos antes de quando algum parente que teve o câncer de mama quando jovem, né? Por exemplo, se a mulher tiver uma mãe ou irmã que teve o câncer de mama aos 45 anos, ela deve começar a fazer 10 anos antes, ou seja, com 35.

Olga Goulart – Doutor, e quais são os exames que podem ajudar a identificar e confirmar um câncer de mama?
Doutor Marco Barbosa – A mamografia que é o exame mais importante para o rastreamento do câncer de mama, né? Que detecta nódulos pequenos e microcalcificações e o ultrassom de mama, que também serve como exame auxiliar a mamografia para detecção de nódulos e cistos.

Olga Goulart – E o que que o exame de ultrassonografia das mamas detecta e como é que ele é feito? Qual que é a frequência com relação a realização desse exame?
Doutor Marco Barbosa – A ultrassom, ele auxilia bastante a mamografia, porque por exemplo, se você detectar um nódulo na mamografia, o ultrassom pode esclarecer que esse nódulo na verdade se trata de apenas um cisto, né? Que é o acúmulo de líquido que se forma dentro da mama e ajuda também as pacientes que precisam fazer uma biópsia ou uma punção, fazer pela ultrassom, geralmente é mais fácil e mais tranquilo para paciente e a depender se tiver algum nódulo ou algum cisto, alguma coisa, esse exame pode ser feito a cada 6 meses, pode ser feito anual também, né? Quando não tem nenhuma alteração, mas geralmente quando tem algum problema, quando tem um nódulo ou um cisto, pode-se pedir a cada 6 meses para fazer um acompanhamento mais próximo.

Olga Goulart – Doutor, e o que que é, e qual que é a finalidade desse exame de mamografia? Quem é que deve fazê-lo?
Doutor Marco Barbosa – A mamografia é um exame de imagem, é feito através de radiação, de raio-X, né? Mas é bom também informar aos ouvintes que a radiação usada na mamografia é uma radiação muito baixa, então é uma dose que corresponde a 1% da dose de uma tomografia por exemplo, então é o exame que é feito, principalmente para detecção do câncer de mama, né? Porque ele é capaz de detectar pequenos nódulos ou microcalcificações, que é antes de formar o nódulo do tumor, ocorrem essas microcalcificações e a mamografia consegue detectar essas alterações e são importantes para determinar se a paciente vai precisar fazer uma biópsia para investigar, né? Nos casos de câncer de mama.

Olga Goulart – E como é que é realizada a mamografia? É correto afirmar que o exame dói, é muito incômodo doutor?
Doutor Marco Barbosa – É, a mama é uma região sensível, né? Então algumas mulheres tem mais sensibilidade e como o exame realmente tem que apertar a mama, né? Porque é necessário fazer uma certa compressão no tecido mamário para que a imagem fique mais nítida, pode incomodar um pouco as mulheres, geralmente quando a mulher faz o exame naquele período pré-menstrual, que a mama está um pouquinho mais sensível pode incomodar um pouquinho mais, mas os aparelhos novos tem conseguido fazer esses exames com menos dor, menos incômodos para as pacientes.

Olga Goulart – E qual que é a diferença entre a mamografia e o ultrassom das mamas?
Doutor Marco Barbosa – É porque na mamografia, como são usados raio-X, o exame consegue detectar essas microcalcificações, que são alterações iniciais do câncer de mama, que seria a melhor fase para iniciar o tratamento, né? A paciente está no estágio inicial, antes da formação do nódulo e tal passo que no ultrassom é um exame que é feito através de ondas sonoras que são emitidas pelo aparelho e detecta e ajuda a diagnosticar os nódulos, e como é um exame feito em tempo real, é bom para se fazer biópsia quando é necessário fazer a biópsia ou fazer alguma punção, fazer guiada pelo ultrassom.

Olga Goulart – Doutor existe algum caso que nenhum exame de imagem confirma com clareza se é mesmo um tumor de mama? E o que fazer nessa situação?
Doutor Marco Barbosa – Algumas pacientes tem a mama muito densa, então mesmo a mamografia não consegue fazer uma boa imagem para se diagnosticar, e nesses casos pode-se fazer ressonância magnética das mamas para ajudar nesses casos, né? Mas é importante dizer também que nem a mamografia, nem o ultrassom confirmam que exista o tumor. Ele dá uma suspeita e a partir daí vai ser necessário ou não fazer uma biópsia e essa biópsia, sim, que vai confirmar ou não se realmente as células que estão naquela área que deu a alteração estão doentes ou não.

Olga Goulart – Doutor, nós recebemos essa dúvida através das nossas redes sociais, que é a seguinte: “sinto muita dor nos seios, pode ser por causa do anticoncepcional? Isso é um problema comum?”
Doutor Marco Barbosa – A dor nas mamas é uma queixa que é muito comum, a gente ouve muito ela no consultório e geralmente não tem relação com nenhum problema e nenhuma alteração, nem o uso de anticoncepcional, nem nada. Muitas vezes ela está relacionada com o ciclo menstrual da mulher, né? A gente sabe que no período pré-menstrual, antes da menstruação chegar, as mamas costumam ficar um pouco mais inchadas e um pouco mais sensíveis a dor, então nesses dias nesse período pré-menstrual, com a mama inchada, existe uma maior sensibilidade e a mulher pode sentir um pouco mais de incômodo. O hormônio que vem no anticoncepcional substitui o hormônio do ovário da mulher, então geralmente não tem muita relação queixa de dor de mama por uso do anticoncepcional, porque a mulher vai suspender o anticoncepcional, mas muitas vezes continua sentindo dor, continua sentindo incômodo.

Olga Goulart – Muita gente ao ler o resultado dos exames de imagem nas mamas, doutor, fica sem entender com clareza o que é que significa aquilo alí. Qual que é a diferença de cisto, nódulo e calcificação? Quando é que deve se preocupar?
Doutor Marco Barbosa – Na verdade, assim, o cisto é uma imagem que você olha geralmente no ultrassom, que corresponde a um acúmulo de líquido, é um acúmulo de líquido que se forma dentro da mama e que a grande maioria das vezes não tem relação com nenhum problema em relação a câncer, né? Pode causar dor, pode causar outros incômodos, pode ter infecção, mas 99% dos casos o cisto não tem relação com o câncer. O nódulo é aquele carocinho que se forma dentro da mama, que em alguns casos não tem também, pode ser nódulo benigno, o que na maioria das vezes acontece, mas aí pode ser também um nódulo maligno, e aí necessitaria fazer uma biópsia para diferenciar e as calcificações são alterações que também acontecem na mama, só que alguns padrões, alguns tipos de calcificação são conhecidos como prévios da formação do nódulo, então o nódulo, o câncer vai se formar alí no futuro. Então detectadas as calcificações, se faz a biópsia para se diagnosticar o câncer ou não.

Olga Goulart – Para finalizar doutor, como se prevenir contra o câncer de mama?
Doutor Marco Barbosa – O importante é aquela recomendação que a gente sempre ouve, né? Dieta balanceada, exercício físico, tudo isso, existem muitas pesquisas que mostram que essa preocupação com a qualidade de vida é muito importante, porque obesidade é um fator de risco para o câncer de mama, então uma pessoa que tem uma dieta balanceada tem uma atividade física regular que faz seus exames rotineiramente conforme as orientações médicas consegue fazer tudo o que hoje em dia na ciência moderna, facilita para a detecção do câncer de mama que venha no estágio inicial, que é onde a gente consegue 95% de cura do tratamento.

Olga Goulart – Ok, conversamos com o doutor Marco Antônio Barbosa Filho, especialista em mastologia. Doutor, muito obrigada e até a próxima!