NOSSAS ENTREVISTAS

Tema: Emagrecimento

 (71) 998... Ver mais >

Olga Goulart – A Organização Mundial de Saúde aponta a obesidade como um dos maiores problemas de saúde pública no mundo, já atingindo mais de 2 bilhões de pessoas, o que representa quase 30% da população mundial. No brasil a obesidade vem crescendo e alguns levantamentos já apontam que mais de 50% da população está acima do peso. A obesidade tem sido considerada uma doença metabólica e neuroendócrina, portanto atenção especial deve ser dada ao tratamento. Neste contexto se inserem as modificações do estilo de vida e o uso de terapia farmacológica. Numa série especial, hoje o Viva Mais Viva Melhor convida a doutora Juliana Caribé, ela é farmacêutica e vai conversar conosco sobre os avanços farmacológicos no tratamento de obesidade e de gerenciamento do peso.

Doutora, qual a importância da individualização do tratamento da obesidade e no gerenciamento do peso? E como é que a manipulação de medicamentos e de suplementos pode ser uma aliada nesse processo?

Dra. Juliana Caribé – Bom, cada indivíduo é um ser único e reage as intervenções de maneira particular. A maneira como a obesidade se desenvolve está relacionada a mecanismos complexos que afetam a homeostase, que é o equilíbrio do indivíduo, por isso a necessidade de uma abordagem multifatorial e individualizada. A individualização propicia ao paciente o tratamento específico, levando em consideração sua condição nutricional, energética e neuroendócrina que é particular para cada um. O tratamento com medicamentos manipulados eles trazem ao paciente a grande vantagem da individualização, ou seja, o paciente passa a ter a oportunidade de ser tratado com fármacos em associação de doses elaboradas para tratar sua condição específica, aumentando com isso a eficácia do tratamento, além disso permite o uso de fármacos e suplementos descontinuados ou não disponíveis na indústria de medicamento. O uso de veículos, excipientes e formas farmacêuticas inovadoras ajudam a melhorar a adesão e consequentemente a resposta ao tratamento.

Olga Goulart – Doutora Juliana, o que são suplementos nutracêuticos? Eles podem auxiliar no processo de emagrecimento?

Dra. Juliana Caribé – Os nutracêuticos são produtos que contém componentes funcionais de alimentos isolados. É um suplemento dietético numa matriz não alimentar, por exemplo, em cápsulas, que contém concentrações normalmente maiores do que aquelas encontradas nos alimentos. Existem alguns nutracêuticos que tem a função de auxiliar no emagrecimento sim. Por exemplo, a quitosana que é encontrada na carapaça de crustáceos quando ingerida forma um gel que capta a gordura do intestino, impedindo que ela seja absorvida. O glucomannan que é uma fibra extraída da raiz de uma planta chamada konjak, que é uma fibra alimentar que quando ingerida absorve água e aumenta o volume, levando a sensação de saciedade.

Olga Goulart – Certo. Agora existem estudos que comprovem a eficácia destas opções terapêuticas no tratamento da obesidade? Como, por exemplo, os prescritores destas substâncias podem ter acesso a mais informações?

Dra. Juliana Caribé – Bom, existem  estudos que comprovam a eficácia dos nutracêuticos com resultados dispostos em artigos científicos que podem ser encontrados em bancos de dados de pesquisa como ___(3:32)___, SciELO, portal CAPES, LILACS, PubMed, são base de dados que podem auxiliar na busca de informações científicas.

Olga Goulart – Doutora Juliana, qualquer pessoa pode tomar remédios para emagrecer ou suplementos? É necessária uma prescrição médica?

Dra. Juliana Caribé – Bom, a orientação por um profissional de saúde habilitado é fundamental para que o paciente obeso seja tratado de uma forma adequada. Um nutricionista, um nutrólogo e o endocrinologista são profissionais capacitados para fazer este acompanhamento, pois eles são capazes de avaliar cada caso com a finalidade de fazer indicações precisas para cada paciente conforme o estado de cada um. Suplementos e alguns fitoterápicos podem ser indicados por nutricionista, mas outros medicamentos são exclusivamente de prescrição médica.

Olga Goulart – Bom, vamos considerar aí um emagrecimento saudável, que é a forma que tem que ser de fato realizado um emagrecimento responsável. Quais as novidades em termos de substâncias, veículos e formas de administração disponíveis no mercado? Eles funcionam da mesma maneira para qualquer pessoa?

Dra. Juliana Caribé – Bom, hoje nós dispomos nas farmácias de manipulação de vários veículos e de formas farmacêuticas inovadoras, como cápsulas que retardam absorção fazendo com que o ativo seja liberado no seu melhor lugar de absorção que são as DR Caps, que são cápsulas ácido-resistentes. Podemos veicular também ativos em chocolates, em bases extemporâneas para iogurte, sachês, shakes, pastilhas, comprimidos sublinguais, jujubas medicamentosas, gotas sublinguais, tudo isso para tornar o tratamento agradável ao paciente melhorando a adesão e consequentemente a eficácia do tratamento. 

Quanto a substâncias temos uma infinidade de ativos com diferentes mecanismos de ação como termogênicos, inibidores de apetite, sacietógenos, inibidores enzimáticos, além dos prebióticos e probióticos que podem ser associados com a finalidade de potencializar a ação emagrecimento. Nesse contexto o medicamento manipulado funciona como um grande aliado porque permite uma infinidade de combinações que podem ser adequadas conforme a necessidade individual, já que cada um responde ao tratamento de uma maneira. 

Apesar de ser uma condição comum a muitos, os mecanismos envolvidos no desenvolvimento e manutenção da obesidade são muito complexos. Hoje a gente sabe que as disbioses que é o desequilíbrio da flora intestinal está intrinsecamente ligado a instalação e perduração da obesidade. Por isso a importância de cuidar da manutenção da flora intestinal, mantendo a integridade intestinal nos casos de tratamento de obesidade com o uso adequado de prebióticos e probióticos, por exemplo. Além disso, sabe-se que a formação do tecido adiposo está relacionada com um estado subclínico crônico de inflamação, sendo muito útil a utilização de agente antioxidante no gerenciamento de peso.

Olga Goulart – Certo. Falemos um pouco agora dos fitoterápicos que também devem ser prescritos. Qual a importância, doutora, dos fitoterápicos no processo de emagrecimento e gerenciamento do peso? 

Dra. Juliana Caribé – Bom, medicamentos fitoterápicos eles são aqueles obtidos exclusivamente de matérias primas ativas vegetais. Nós contamos com a diversidade do reino vegetal como aliados no processo de emagrecimento e gerenciamento de peso. Atuam tanto potencializando a ação de outros fitoterápicos associados em prescrição, como também de medicamentos não fitoterápicos. Lembrando que o fato de serem obtidos de matrizes vegetais não os tornam totalmente inofensivos e passíveis de uso indiscriminado, são medicamentos que possuem sim eficácia comprovada, mas também têm os seus riscos associados ao uso, por isso que se deve sempre buscar a orientação de um profissional de saúde qualificado para prestar orientação a respeito de uso de tais ativos, sejam eles nutricionistas, nutrólogo, o endocrinologista e o próprio farmacêutico.

Olga Goulart – É verdade, tem o perigo da interação medicamentosa. Os medicamentos podem interagir com outros produtos, quais as consequências disso, doutora?

Dra. Juliana Caribé – A interação medicamentosa ocorre quando há interferência de um mecanismo de ação na absorção, no metabolismo, na excreção de outras substâncias, alterando assim a ação esperada de um medicamento. Essas interações elas podem ocorrer tanto entre dois medicamentos, como entre medicamento de alimentos ou medicamento e álcool. As interações medicamentosas podem culminar tanto num aumento ou redução do efeito terapêutico esperado, como em um aumento ou redução do efeito tóxico previsto para determinado medicamento.

Olga Goulart – Remédios para emagrecer ou mesmo suplementos nutracêuticos fazem efeitos sozinhos ou atividade física e alimentação saudável precisam sempre estar associados ao tratamento?

Dra. Juliana Caribé – Mudanças de hábitos comportamentais como práticas de exercícios e reeducação alimentar é fundamental para o emagrecimento. Tem que estar sempre associadas ao tratamento medicamentoso e mesmo depois do emagrecimento esses hábitos não devem ser descontinuados para que se mantenha o peso ideal.

Olga Goulart – Para finalizar, doutora Juliana, é grande o número de informações sobre medicamentos, principalmente na internet. Como avaliar a qualidade destas informações veiculadas na web?

Dra. Juliana Caribé – O material utilizado para pesquisa deve ter embasamento científico. Alguns bancos de dados podem nos oferecer informações seguras baseadas em evidências. O mais importante é buscar profissionais qualificados e que tenham posse de tais informações e estratégias de busca para fazer a orientação da melhor maneira possível.

Olga Goulart – Ótimo, conversamos com a doutora Juliana Caribé, farmacêutica. Doutora, muito obrigada pelas informações e até a próxima oportunidade aqui no Viva Mais Viva Melhor.