NOSSAS ENTREVISTAS

Tema: Descolamento de Retina

 (071) 33... Ver mais >

Viva Mais Viva Melhor – Você já ouviu falar em descolamento de retina? O problema pode levar a perda total da visão se não for tratada a tempo. Mas o olho costuma dar sinais antes do descolamento acontecer e, caso o paciente busque tratamento na fase inicial da doença, nem vai precisar passar por uma cirurgia pra voltar a enxergar como antes. E para conversar conosco sobre esse assunto, convidamos a Doutora, Verônica Castro Lima, Oftalmologista e especialista em retina. Doutora, explica para nossos ouvintes, o que que é a retina e qual que é a sua função.
Dra. Verônica Castro Lima – Bem Olga, a retina é uma membrana muito fina, flexível e delicada, que reveste a superfície interna da parede posterior do olho. Nela existem receptores fotossensíveis que convertem a imagem luminosa, proveniente do exterior, em impulsos elétricos, que através do nervo ótico são enviados pra área do cérebro onde se processa a visão. A retina não possui nenhum elemento de fixação que prenda ela no globo ocular. É um gel vítreo, chamado de vítreo, uma substância gelatinosa, transparente, que é situada entre ela e o cristalino, que mantém a retina na sua posição, na sua posição anatômica, ou seja, em contato com as estruturas que lhe garantam suporte e nutrição.

Viva Mais Viva Melhor – E por que que essa retina descola? Quais são as causas do descolamento da retina? 
Dra. Verônica Castro Lima - Bem, o descolamento de retina ocorre quando há separação entre a retina e as outras camadas da parte interna do olho. Geralmente essa separação ocorre pela entrada de líquido através de uma rotura ou um rasgão na retina. Nessa situação a retina começa a sofrer um processo gradativo de degeneração e morte celular, acarretando num prejuízo na visão, que é proporcional ao tempo e a extensão do descolamento, ou seja, quanto maior o tempo entre o diagnóstico e o tratamento, menores são as chances do paciente recuperar totalmente a sua visão. Existem três tipos básicos de descolamento de retina. A forma regmatogênico, que é causado pelo aparecimento das roturas como eu falei. A forma tracional, que é comumente relacionada a retinopatia diabética e o descolamento seroso, que normalmente é causado por tumores e doenças inflamatórias.

Viva Mais Viva Melhor – Quanto aos fatores de Risco, Doutora, o que que pode levar um paciente a desenvolver o descolamento de retina?
Dra. Verônica Castro Lima – O descolamento de retina regmatogênico é a forma mais comum de descolamento de retina e os principais fatores de risco são o descolamento agudo do gel vítreo, que nós chamamos de descolamento do vítreo posterior, o aparecimento de rasgos na retina ou de lesões que predisponham ao aparecimento do descolamento, como por exemplo, degeneração do tipo lattice, o histórico pessoal, o histórico familiar de descolamento de retina, a alta miopia, trauma ocular e cirurgias intraoculares prévias, como cirurgia de catarata.

Viva Mais Viva Melhor – Doutora, já que é possível perceber alguns sinais antes desse descolamento total de retina, quais seriam esses sinais?
Dra. Verônica Castro Lima – É, muitas vezes os sinais e os sintomas do descolamento de retina são precedidos pela percepção de flashs de luz e de moscas volantes. O que são moscas volantes? São pontos, filamentos, círculos ou teias de aranha que aparecem na frente do campo de visão do paciente e ficam se movendo a medida que os olhos se movem. Esses são os sinais de podem aparecer antes do descolamento de retina.

Viva Mais Viva Melhor – Esses sinais sugerem urgência, Doutora? O que que o paciente deve fazer diante de uma situação, diante desses sintomas?
Dra. Verônica Castro Lima – Bem, se o paciente antes não percebia esse tipo de sintoma, como flashs de luz e moscas volantes, ele deve procurar um oftalmologista assim que possível para se submeter a uma avaliação.

Viva Mais Viva Melhor – Algumas pessoas costumam relatar o aparecimento de pontinhos pretos na visão, quando passam por situação de estresse. Existe alguma relação desses pontinhos pretos momentâneos com o descolamento de retina?
Dra. Verônica Castro Lima – Esses pontos pretos são as chamadas moscas volantes que eu expliquei. Normalmente elas podem ser um sinal premonitório de descolamento de retina, podem ser, não significa que todas as pessoas que enxergam esses pontinhos pretos, principalmente os que vão e voltam, ou seja, os que aparecem e desaparecem, tem descolamento de retina, mas eles podem ser um sinal premonitório sim, principalmente quando são persistentes, né? E tendem a piorar ao longo do tempo. Isso pode significar que exista um descolamento de retina, porém os principais sintomas do descolamento na verdade é a perda de visão, que acontece de forma súbita e indolor, ou seja, sem dor, que o paciente não sente dor, mas perde a visão de forma súbita. Ou então o aparecimento de uma mancha ou uma sombra no campo de visão periférico que vai avançando em direção ao centro. Esses são os principais sintomas que o paciente refere quando a retina já está descolada.

Viva Mais Viva Melhor – E como normalmente se diagnostica o descolamento de retina? Existem exames específicos para detectar a doença?
Dra. Verônica Castro Lima – Bem, o diagnóstico ele é clínico e realizado através do exame de mapeamento de retina, com as pupilas dilatadas. Em casos específicos, nos quais não se consegue obter uma visualização adequada do fundo de olho, como por exemplo, nos casos de catarata, se pode recorrer ao exame de ultrassonografia pra ajudar no diagnóstico.

Viva Mais Viva Melhor – Doutora, qual que é a importância do exame anual do fundo de olho, no caso do descolamento de retina? Como é que é feito esse exame?
Dra. Verônica Castro Lima – Durante o exame oftalmológico de rotina, a gente sempre faz o mapeamento de retina. Se forem identificadas roturas na retina ou lesões que são predisponentes ao aparecimento de descolamento, está indicada nestes casos a aplicação do laser, que é a fotocoagulação de retina. Esse laser, ele vai bloquear essas áreas que são mais susceptíveis a formação de rasgos e roturas, pra que o paciente venha no futuro ter uma redução no risco de descolamento.

Viva Mais Viva Melhor – Existe tratamento para o descolamento de retina?
Dra. Verônica Castro Lima – Sim. Existe o tratamento e esse tratamento é cirúrgico. O nome da cirurgia que a gente faz é a cirurgia de vitrectomia com ou sem introflexão escleral. Esse tratamento, ele deve ser feito com urgência, principalmente nos casos mais recentes e nos casos onde a mácula, que é a porção central e nobre da retina, está preservada. Na grande maioria dos casos, apenas uma intervenção cirúrgica é suficiente pra reverter o descolamento de retina, porém existem situações em que outros procedimentos ou a associação de mais de uma das técnicas se fazem necessários e no pós-operatório o paciente, ele fica durante algum tempo com o curativo, e normalmente a gente orienta um repouso relativo, mas um repouso que deve ser respeitado. Também o paciente, ele deve evitar movimentos bruscos no pós-operatório, a prática de esportes, viagens de avião são desaconselhadas nessa fase de pós-operatório e existem casos também que o paciente precisa ficar em repouso em uma determinada posição, como por exemplo, com a face virada pra baixo.

Viva Mais Viva Melhor – E como é que é feita a cirurgia de descolamento de retina, Doutora? Tem necessidade de sedação?
Dra. Verônica Castro Lima – Sim. Esta cirurgia, ela é feita sempre sobre sedação e com o bloqueio regional, ou seja, uma anestesia local. Não é necessária uma anestesia geral, apenas em alguns casos específicos em que o paciente tem indicação de anestesia geral, mas, na grande maioria dos casos, é feita apenas com sedação e anestesia local.

Viva Mais Viva Melhor – Após o tratamento, o paciente volta a enxergar como antes?
Dra. Verônica Castro Lima – Bem, depende muito da gravidade e da localização do descolamento. São muitos fatores que vão interferir no prognóstico visual a longo prazo, mas, sim, o paciente, ele pode voltar a enxergar como antes, principalmente se esse descolamento for diagnosticado de forma rápida e o tratamento for feito, também, de forma rápida. Então, esse paciente pode voltar a enxergar como antes.

Viva Mais Viva Melhor – É um tratamento muito caro, Doutora? É possível, inclusive, realizá-lo pelo plano de Saúde ou pelo Sistema Único de Saúde, pelo SUS? 
Dra. Verônica Castro Lima – O tratamento é cirúrgico, como já dissemos anteriormente e pode ser realizado pelo SUS ou através dos planos de Saúde, e quando a cirurgia é feita particular, os valores vão depender muito do tipo de material que o médico vai usar pra cada caso. Na verdade, são esses materiais que acabam encarecendo o valor da cirurgia.

Viva Mais Viva Melhor – Nós podemos afirmar que o descolamento de retina, então, tem cura? Ou não?
Dra. Verônica Castro Lima – O descolamento de retina tem tratamento, porém a recuperação total da função visual vai depender de uma série de fatores como eu disse anteriormente. Em geral, quanto maior o tempo entre o diagnóstico e o tratamento, menores são as chances de melhora visual. Então, para que a função visual retorne ao que era antes, ou seja, volte ao normal, é necessário que esse diagnóstico e o tratamento sejam feitos da forma mais rápida possível.

Viva Mais Viva Melhor – Para finalizar, Doutora Verônica, tem como se prevenir esse problema de descolamento de retina?
Dra. Verônica Castro Lima – Bem, o melhor que se tem a fazer para prevenir uma doença tão grave e debilitante como essa, é o exame periódico com o seu médico oftalmologista. O exame de mapeamento de retina, ele deve ser realizado com a frequência maior em casos de miopia, pacientes com histórico de cirurgias intraoculares, trauma ocular, pacientes diabéticos, pacientes com história familiar ou com descolamento de retina no olho contralateral, lembrando sempre que o médico oftalmologista é o único profissional habilitado capaz de diagnosticar e tratar essa doença.

Viva Mais Viva Melhor – Ok. Conversamos com a Doutora Verônica Castro Lima, oftalmologista, especialista em retina. Doutora, muito obrigada, até a próxima!