NOSSAS ENTREVISTAS

Tema: Catarata

 (075) 36... Ver mais >

Viva Mais Viva Melhor – Muitos pensam que esse é um problema exclusivamente de idosos, mas também pode atingir crianças e recém-nascidos. Nós estamos falando da catarata, uma doença que afeta a qualidade da visão e é caracterizada pelas pupilas com aspecto leitoso, uma vista embaçada e sensibilidade à luz. Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) essa é a principal causa de cegueira evitável do mundo. E quem conversa conosco sobre o assunto é o doutor Daniel Braga, oftalmologista especialista em catarata e doenças da retina. Doutor, vamos esclarecer para os nossos ouvintes o que é a catarata?
Dr. Daniel Braga – Oi Olga, é um prazer prestar esclarecimento assim à população. A catarata nada mais é do que uma doença do cristalino. O cristalino é uma lente natural que a gente tem dentro do olho e ele fica situado atrás da pupila, a menina dos olhos. É uma lente totalmente transparente. A gente nasce, a visão desenvolve naturalmente, só que existe algumas particularidades desse cristalino que com o tempo ele pode embaçar, ele pode com o tempo escurecer e é denominada a catarata. Então a catarata nada mais é do que uma doença do cristalino. 90% da catarata é senil, causada pela idade, então a população mais atingida pela catarata é a população acima dos 60 anos de idade, mas existem também outras causas para se desenvolver a catarata, existe a catarata infantil, a catarata congênita onde o menino já nasce com catarata, existem cataratas causadas por algumas doenças inflamatórias, cataratas por uso de medicação, daí o uso adequado de colírios e de algumas medicações são importantes para se prevenir uma catarata secundária. Então a catarata é uma doença do cristalino.

Viva Mais Viva Melhor – Bom, você já disse algumas das causas. Mas quais são as principais causas da catarata, ela aparece sozinha ou é em consequência de alguma outra doença?
Dr. Daniel Braga – A catarata é consequência do envelhecimento natural do cristalino, todo mundo vai ter catarata um dia. É claro que algumas pessoas podem desenvolver com 60 anos de idade, outras com 70, com 80, 90, mas é uma doença natural, todo o mundo vai ter e a principal causa é a idade. Tem como prevenir, se você evitar radiação durante a vida, evitar exposição demasiada ao sol, usar óculos com lentes protetoras ultravioletas. Então você consegue minimizar os efeitos do envelhecimento do cristalino, mas não tem como evitar. Se chegou a hora tem que trocar.

Viva Mais Viva Melhor – Doutor Daniel, a catarata vai acometer sempre os dois olhos?
Dr. Daniel Braga – A catarata geralmente é bilateral. No entanto, ela é assimétrica, pode as vezes comprometer um olho primeiro e depois vem o outro.

Viva Mais Viva Melhor – Tem como o paciente desconfiar que está com a doença? Quais são os primeiros sintomas da catarata?
Dr. Daniel Braga – Olga, o primeiro sintoma da catarata é o paciente perceber que a visão não tem mais aquela qualidade e a mesma nitidez que sempre teve na juventude. Começa então perdendo a qualidade da visão e aí depois a pessoa consegue perceber uma perda na quantidade de visão. É muito fácil você testar a visão fazendo um teste de visão monocular, em que pede para o paciente fechar um dos olhos com a mão, tapar um dos olhos com a mão e observar um ponto distante e depois faz o teste ao contrário, com a outra mão oclui o outro olho e olha o mesmo ponto e observa se tem diferença de visão de um olho para o outro. É um teste simples, fácil e que todo o mundo pode e deve fazer para no dia-a-dia observar não só a catarata como outros problemas também, outras suspeitas de perda de visão.

Viva Mais Viva Melhor – Muitos confundem pterígio com catarata. Como diferenciar estas duas situações? 
Dr. Daniel Braga – Isso daí é uma coisa muito comum mesmo que a gente ouve no consultório. O leigo as vezes não sabe dar a informação exata. O pterígio, Olga, é aquela membrana que cobre a córnea, o cantinho do olho, e muitas vezes ela inflama e fica avermelhada. Aquilo ali é uma proliferação fibrosa vascular que ela tende a crescer com a exposição solar, poeira, vento, tende a ficar irritado, ele inflama e aí começa a crescer. A cirurgia é totalmente diferente. Ali é feita uma raspagem, uma remoção do pterígio, uma cirurgia somente na superfície do olho. Já a catarata não, a catarata é um problema intraocular. É o cristalino que opacifica e embaça a visão da pessoa. 

Viva Mais Viva Melhor – Existe algum tratamento clínico para a catarata?
Dr. Daniel Braga – Não. Já foram tentados algumas vezes no passado o uso de alguns colírios, alguns outros tipos de tratamento para evitar ou para prevenir ou até mesmo tratar a catarata, mas não se obteve muito sucesso. O único tratamento para a catarata eficaz é a cirurgia. É feita a remoção do cristalino e é substituído este cristalino por uma lente intraocular que fica dentro do olho da pessoa para o resto da vida. A pessoa não sente esta lente, não percebe, absolutamente nada. O olho incorpora aquela lente, cicatriza e a pessoa volta a enxergar naturalmente sem problema nenhum.

Viva Mais Viva Melhor – E como é que é feita a cirurgia de catarata? Como é que se remove a catarata de um olho?
Dr. Daniel Braga – A cirurgia de catarata é uma cirurgia realizada por técnica bastante segura e rápida, a técnica de Facoemulsificação. Em apenas um orifício de 2 milímetros é introduzido um aparelhinho que emite um ultrassom e ele tritura e aspira o cristalino. Então o cristalino é substituído por uma lente. Hoje em dia as lentes intraoculares elas são dobráveis, elas vêm enroladinhas num cartucho e é colocada por este orifício de 2 milímetros e injetada dentro do olho. Lá dentro ela se abre e fica na posição. Esta é a evolução da cirurgia de catarata nos últimos anos. Em cima desta tecnologia, no desenvolvimento de novas lentes, mais modernas, cada vez melhores, atualmente se consegue corrigir para você ter ideia o grau dos óculos que a pessoa usava antes de operar, o grau já é corrigido na lente intraocular. Muitas vezes o paciente depois da cirurgia de catarata não precisa mais usar óculos, já é corrigida na cirurgia. 

Viva Mais Viva Melhor – A cirurgia é feita com o paciente dormindo, ou seja, sedado, ou acordado? É uma cirurgia muito demorada? 
Dr. Daniel Braga – A cirurgia com essa técnica de Facoemulsificação é feita apenas com a sedação e anestesia tópica. O que é anestesia tópica? O uso de colírio, que o colírio no olho do paciente faz uma sedação venosa. O paciente dorme, como se fosse uma endoscopia, semelhante a um procedimento padrão de endoscopia. O paciente dorme, fica levemente sonolento e o médico pinga o anestésico no olho do paciente e opera. A cirurgia é rápida, demora em média de 15 a 20 minutos. Acabou a cirurgia o paciente levanta e vai embora para casa. Não fica internado. A cirurgia é rápida e segura hoje em dia.

Viva Mais Viva Melhor – Doutor, pacientes que possuem algum tipo de erro de refração, como miopia, astigmatismo e hipermetropia podem corrigir o problema durante a cirurgia de catarata?
Dr. Daniel Braga – Podem sim, Olga. Na maioria das vezes é possível. Depende muito hoje das lentes intraoculares, das tecnologias que agregam estas lentes. Hoje em dia tem lentes intraoculares com qualidade multifocal. O paciente depois da cirurgia vai operar a catarata, implanta a lente durante a cirurgia e nesta lente já corrige o grau tanto de longe quanto de perto, o grau pra leitura. Corrige hipermetropia, pode corrigir a miopia e o astigmatismo também. Isso graças a tecnologia que vem cada vez melhorando estas lentes intraoculares.

Viva Mais Viva Melhor – Habitualmente os dois olhos são operados simultaneamente ou é preciso esperar a recuperação de um para depois operar o outro?
Dr. Daniel Braga – Não, geralmente é feito um olho de cada vez. O médico juntamente com o paciente determina o olho que deve ser prioridade. Opera-se um olho e num prazo de 1 semana ou 15 dias depois já pode ser feita a cirurgia de outro olho também. Tudo rápido, programado, se faz os exames pré-operatórios, a gente só faz em tempos separados.

Viva Mais Viva Melhor – Doutor, quais são os cuidados que o paciente precisa ter no pós-operatório? Quanto tempo em média leva a visão para voltar ao normal após uma cirurgia. 
Dr. Daniel Braga – Olga, é natural que após uma cirurgia intraocular a visão fique um pouquinho embaçada nos primeiros dias após a cirurgia, talvez nos primeiros 4 a 5 dias, mas também não é raro, é muito comum hoje em dia o paciente já no dia seguinte chegar no consultório e dizer que está enxergando muito bem. A gente toma até um certo cuidado neste pós-operatório porque o paciente muitas vezes tende a menosprezar o procedimento. Parece ser um procedimento tão rápido e tão seguro que o paciente acha que no pós-operatório ele já está livre e desimpedido para fazer todas as suas atividades de trabalho e de lazer e não é bem assim. É um pós-operatório que deve ser respeitado e deve ter certos cuidados. O paciente deve evitar sair de casa durante uns 10 a 15 dias para evitar riscos de contaminação, de infecção no olho, deve evitar de fazer força, não pode forçar os olhos de maneira alguma, usar os colírios prescritos pelo médico adequadamente, deve evitar de dormir virado com o olho operado para o travesseiro. A alimentação é uma alimentação normal, como o paciente já tem o hábito de fazer. Os cuidados são mais relativos, não são nenhuma restrição absoluta, a não ser que seja um caso específico, caso o paciente tem um ou outros problemas de saúde que deva ser levado em consideração. Mas no mais é isso, um pós-operatório tranquilo, porém com certos cuidados e em pouco tempo ele já estará apto a dirigir, sair, trabalhar. Num prazo muitas vezes de uma semana, 10 dias as pessoas já voltam às suas atividades normais.

Viva Mais Viva Melhor – Doutor, qual que é o momento certo de se operar de catarata?
Dr. Daniel Braga – Olga, este momento certo, por a cirurgia hoje ser indicada cada vez mais precocemente e deve ser tomado justamente pelo médico oftalmologista. O paciente numa consulta de rotina anual, que é o que a gente orienta, procura com o médico oftalmologista e decide com o médico é o momento adequado de acordo com a qualidade da visão, a quantidade da visão que vem perdendo em determinado tempo e o médico juntamente com o paciente vão decidir este momento. É uma cirurgia programada, não é uma cirurgia que é feita de urgência ou de emergência, é uma cirurgia eletiva. Então o médico juntamente com o paciente estabelece os critérios, se aquela catarata já está afetando a qualidade de vida daquele indivíduo, se está afetando o seu trabalho, o seu lazer, o desempenho em algumas funções e essa é a hora de operar.

Viva Mais Viva Melhor – Neste caso, então, não é correto afirmar que somente as pessoas idosas precisam ser submetidas a cirurgia de catarata, certo?
Dr. Daniel Braga – Não, não, de forma alguma! A gente tem aqui na clínica ou no hospital, no dia-a-dia da gente pacientes jovens que desenvolvem catarata por alguma causa secundária. Por exemplo, pacientes que usam alguma medicação e desenvolvem catarata como efeito colateral de alguma medicação. Paciente que tem alguma outra doença ocular, uma inflamação no olho ou um trauma, as vezes com uma pancada pode-se desenvolver catarata, uma catarata traumática. Então estas outras causas secundárias muitas vezes acontecem em pacientes mais jovens. Não é a causa senil do paciente idoso.

Viva Mais Viva Melhor – Apesar de menos frequente, seria importante falar um pouco sobre a catarata infantil. Qual que é a importância do teste do olhinho nos primeiros dias de vida do bebê?
Dr. Daniel Braga – É importantíssimo isso! A gente chama atenção para o teste do olhinho porque no teste do olhinho, Olga, vão ser detectadas malformações no olho do bebê. Essas malformações podem impedir completamente ou parcialmente a formação da visão. O neném não nasce com a visão formada, a visão vai se desenvolvendo e vai se formando ao longo do desenvolvimento da criança. Por volta dos 6 ou 7 anos de idade que essa visão está completamente formada e desenvolvida. Então qualquer probleminha que o neném tem durante o nascimento ou após o nascimento pode comprometer o desenvolvimento visual. A catarata congênita, por exemplo, é uma delas. Se a criança desenvolve a catarata infantil, já nasce com a catarata congênita é preciso operar rápido para que estabeleça o processo visual neste olho para que a visão então desenvolva normalmente, porque a visão não é no olho, a visão está no cérebro e o olho é só o mecanismo de captação da luz e captação das imagens e através do nervo óptico estas informações são transmitidas ao cérebro. Se o cérebro não receber essa informação corretamente ele não vai se desenvolver. Então a área occipital responsável pela visão não se desenvolve corretamente se não houver estímulo para isso e para ter o estímulo adequado tem que ser corrigida a catarata o quanto antes.

Viva Mais Viva Melhor – A catarata tem cura ou há risco dela voltar após se submeter a cirurgia? 
Dr. Daniel Braga – Não, nunca mais. Operou a catarata é só uma vez na vida. Se operou acabou, removeu o cristalino que estava embaçado, opacificado, substitui aquele cristalino por uma lente intraocular e aí acabou, nunca mais vai ter outro cristalino ali. Então a catarata só é feita a cirurgia uma vez na vida.

Viva Mais Viva Melhor – E a procura pela cirurgia de catarata é grande? As pessoas demoram para procurar ajuda normalmente?
Dr. Daniel Braga – A procura para a cirurgia de catarata hoje é cada vez mais frequente, porque a informação chega muito fácil hoje para todo o mundo. A gente tem os meios de comunicação, tem a internet, rádio e a informação chega para todo o mundo hoje com muita facilidade. Então a informação chegando a pessoa procura, se identifica com aquele problema e procura um médico no atendimento o mais rápido possível, coisa que não acontecia antigamente. É muito comum a gente ouvir falar “ah, porque meu avô morreu cérebro” ou “minha vó era cega quando morreu, depois de 80 anos já não enxergava mais nada”. Qual a causa? “Ah, não sei, é da idade”. Na verdade, não se davam o diagnóstico, todo o mundo já tinha este problema antigamente, mas, no entanto, o diagnóstico não era dado. Hoje em dia as pessoas procuram o médico e é feito o diagnóstico, mais do que isso, é feito o diagnóstico e é tratado. Então é cada vez mais frequente a cirurgia de catarata e vem sendo realizada graças a Deus com sucesso e a tecnologia vem somente aumentando na área da oftalmologia.

Viva Mais Viva Melhor – E para finalizar, doutor Daniel, há alguma medida preventiva para se evitar a catarata, evitar que ela se instale?
Dr. Daniel Braga – Olga, o que a gente pede às pessoas, para os pacientes, é que façam um atendimento periódico com seu oftalmologista, façam uma consulta anualmente para que seja detectado precocemente possível qualquer problema visual. A catarata especificamente ela pode ser retardada, a catarata senil, com o uso de óculos de proteção ultravioleta, evitar exposição demasiada a qualquer tipo de radiação, evitar uso de medicações por conta própria, não fazer uso de medicação sem prescrição médica e fazer principalmente a consulta de rotina pelo menos uma vez por ano.

Viva Mais Viva Melhor – Ok. Conversamos com o doutor Daniel Braga, especialista em oftalmologia. Doutor, muito obrigada e até a próxima.