NOSSAS ENTREVISTAS

Pergunte ao Especialista André Vinícius sobre Câncer de Mama

 (071) 33... Ver mais >

Viva Mais Viva Melhor – O Pergunte ao Especialista é um espaço reservado ao público do portal VivaMaisVivaMelhor.com que tem como finalidade tirar as dúvidas sobre os mais variados temas relacionados à saúde e bem-estar da população. Hoje nós vamos falar sobre o câncer de mama que, embora bastante difundido, ainda deixa muita dúvida. Quem vai responder às perguntas dos internautas é o especialista em mastologia, o doutor André Vinícius. 

Doutor, a primeira pergunta é da internauta Luiza Souza, a pergunta é a seguinte: Gordura na mama é o que?
Dr. André Vinícius – Veja bem, isso é inclusive um achado frequente em exames de imagem. Não passa de nada além de um achado simplesmente no exame. Por exemplo, um paciente faz uma ultrassonografia e vem um achado ‘nódulo compatível com ilhota de gordura’ ou ‘ilhota de tecido adiposo’. Essa gordura, na verdade, faz parte da constituição da mama. A mama tem o seu parênquima que é o tecido granular propriamente dito que produz o leite e ele é entremeado em gordura e fortuitamente pode-se fazer um ultrassom e achar um nódulo de gordura. Este nódulo de gordura não aumenta a chance para câncer, não representa um risco para câncer aumentado para esta paciente e nem aumenta o seu risco cardiovascular. É bastante comum inclusive em pacientes magras, pode-se fazer ultrassom e ver lá uma bolinha de gordura. Na prática clínica não se faz nada com isso, apenas acompanha.

Viva Mais Viva Melhor – Doutor, existe algum sintoma do câncer de mama, além de caroço no seio? Essa pessoa que perguntou não se identifica.
Dr. André Vinícius – Além do caroço do seio ou tumor, podem ocorrer outros sintomas, como retração da pele, pode ocorrer uma depressão na pele, pode ocorrer ainda uma inversão do mamilo, o mamilo que era normoposicionado passa a retrair e entrar de maneira súbita, diferente daquela paciente que já tem um mamilo invertido de longa data. É diferente. Ele subitamente inverte ou há ainda há a saída de secreção sanguinolenta, o que se chama de descarga sanguinolenta, através dos orifícios da papila (bico do seio). Estes são sintomas que na maioria das vezes estão relacionados com tumores subjacentes com câncer de mama. No entanto, é interessante ressaltar para a população, que nós não desejamos diagnosticar um câncer em tais estágios, porque normalmente se associa a um estágio mais avançado, um tumor normalmente maior. Nós preferimos flagrar um possível câncer de mama num exame de rastreamento mamográfico, ou seja, com a realização da mamografia nós podemos diagnosticar tumores muito pequenos que não dão absolutamente nenhum sintoma e a grande maioria dos diagnósticos que nós temos na nossa atualidade são através da mamografia. Ou seja, pacientes completamente assintomáticas, mas que durante o seu rastreamento mamográfico nós podemos fazer um diagnóstico precoce, preciso e em estágio inicial, possibilitando uma chance de cura muito elevada.

Viva Mais Viva Melhor – A dúvida de Iraíldes Carvalho é a seguinte: Doutor, eu sinto os meus seios inchados as vezes, isso pode ser algum sintoma de câncer de mama?
Dr. André Vinícius – Muito bem. Esse tipo de queixa, normalmente assim, a mama incha as vezes, algo regular, intermitente. Normalmente isso se relaciona ao que antigamente se chama de displasia mamária. A queixa principal no mastologista é essa, uma paciente que tem mamas dolorosas e que sentem inchaço. Normalmente isso ocorrer ciclicamente naquela fase pré-menstrual, quando a mulher está naqueles dias que antecedem a menstruação e normalmente dão uma aliviada e melhoram a partir do terceiro e quarto dia do período do ciclo menstrual. Normalmente isso não se relaciona com o câncer de mama não. No entanto, nós não podemos também cair na cilada de achar que a paciente que tem dor na mama está protegida ou não precisa fazer o rastreio mamográfico. Eu apenas digo que este não é um sintoma de câncer de mama, mas tendo ou não nós orientamos que a paciente faça um exame clínico anual e mamografia a partir dos 40 anos também.

Viva Mais Viva Melhor – A dúvida do nosso internauta, é homem e ele não se identifica. A pergunta é a seguinte: O câncer de mama pode atingir os homens, em que proporção?
Dr. André Vinícius – O câncer de mama pode sim atingir homens, mas é um evento extremamente raro. E para que eu possa diagnosticar um câncer de mama em meu consultório, eu preciso estatisticamente diagnosticar 99 casos de câncer de mama em mulheres. Então a proporção é de 1 homem para cada 99 mulheres com diagnóstico de câncer de mama.

Viva Mais Viva Melhor – Gabriela Oliveira enviou uma dúvida através do nosso portal. “Doutor, uma mama maior do que a outra é normal? Tem algum sinal de câncer?”
Dr. André Vinícius – Se a assimetria mamária já é uma coisa de longa data, é algo anatômico, não tem nada a ver, não aumenta a chance para câncer de mama não. Diferente da paciente que tem mamas normais, simétricas e subitamente uma delas aumenta e fica um pouco endurecida, a pele fica espessada, as vezes assemelhando-se a casca de laranja, como nós chamamos de ‘peau d'orange’, esse sintoma de casca de laranja e ela ainda pode ficar ainda avermelhada. Então se esses sintomas são súbitos, são marcantes e agudos realmente deve ficar atenta, isso é uma alteração suspeita. No entanto, uma paciente quem assimetria, uma mama maior do que a outra, isso não aumenta a chance para câncer de mama e não é um sinal de uma doença subjacente não.

Viva Mais Viva Melhor – A pergunta agora vem da Bruna Mazolene: “doutor, com que idade a pessoa deve fazer o exame para rastreio do câncer de mama?”.
Dr. André Vinícius – O exame cientificamente comprovado para rastreamento do câncer de mama, aquele que comprovou redução na mortalidade por câncer pela doença é a mamografia e o Ministério da Saúde recomenda a mamografia a partir dos 40 anos. A Sociedade Brasileira de Mastologia, dentro desta faixa etária, recomenda a realização deste exame da mamografia anualmente. Portanto, mamografia anual a partir dos 40 anos.

Viva Mais Viva Melhor – Agora a pergunta é da Zélia Guimarães, ela tem cisto na mama e pergunta o seguinte: “doutor, é necessário fazer a mamografia todos os anos no meu caso que tenho cisto na mama ou apenas a ultrassonografia seria suficiente? ”.
Dr. André Vinícius – Os cistos mamários, cistos simples, eles não são e não aumentam a chance de a pessoa ter câncer de mama, são achados benignos. Para um acompanhamento destes cistos é recomendado a ultrassonografia semestral, mas é interessante dizer que ele em nada vai aumentar a chance para câncer. É apenas para um acompanhamento, para saber se ele está aumentando, esse tipo de coisa. Tendo cisto ou não, toda a mulher acima dos 40 anos ela tem que fazer a sua mamografia e essa mamografia servirá para fazer o rastreamento do câncer de mama. Em síntese, esse cisto não vai mudar na conduta no que diz respeito ao rastreamento. Tendo cisto ou não a mulher tem que fazer a mamografia anual a partir dos 40. O ultrassom, que não é o exame para rastreamento do câncer de mama é interessante para este caso de cistos. Inclusive, estes cistos aparecem mais na ultrassonografia e é o método que permite o acompanhamento destas imagens.

Viva Mais Viva Melhor – Alfredo Gama pergunta aqui se prótese de silicone nos seios pode levar ao câncer de mama. Segundo ele a esposa tem prótese.
Dr. André Vinícius – Até hoje não há elementos científicos, nenhuma evidência que tenha mostrado aumento da chance de câncer de mama pelo uso da prótese de silicone, de maneira alguma. Inclusive é interessante frisar que o acompanhamento e a prevenção do câncer continuam a mesma. Usando prótese de silicone ou não a paciente deverá fazer a mamografia. Muitas acham que não podem fazer a mamografia porque tem a prótese e pode estourar ou deformar a prótese e isso não ocorre, não tem nada a ver. Existem algumas manobras que durante o exame mamográfico se realiza de maneira a identificar todo o tecido mamário, tirando a prótese do campo radiográfico. Então continua sendo o exame de rastreamento a mamografia e a prótese de silicone não aumenta a chance para o câncer de mama.

Viva Mais Viva Melhor – A pergunta agora é de Enia Santiago que quer saber o seguinte: “doutor, eu tenho 32 anos e quero saber se já devo fazer a mamografia, eu tenho histórico de câncer na família. ”
Dr. André Vinícius – Há casos particulares em que se diminui a idade em que se começa a fazer a mamografia. O Ministério da Saúde recomenda a mamografia anual a partir dos 40 anos. No entanto, existe uma exceção para a realização deste exame em idade mais precoce quando existe história familiar em parente de primeiro grau, ou seja, pai, mãe e irmã. Já tendo este diagnóstico num familiar de primeiro grau avalia-se a idade em que essa pessoa teve o diagnóstico e subtrai-se 10 anos. Para resumir, se com a nossa ouvinte a irmã dela teve o diagnóstico de câncer de mama aos 40 anos, ela tem indicação formal da realização da mamografia a partir dos 30, ou seja, diminuindo os 10 anos e então ela começa o rastreio mais cedo. Mas é importante ressaltar que esse é um caso muito particular. Nos demais casos não faz nenhum sentido antecipar este exame mamográfico, se o parentesco já for um pouco mais distante isso aí já não interfere e nem modifica a idade da primeira mamografia.

Viva Mais Viva Melhor – Bruna Almeida pergunta por que a mamografia tem que apertar tanto os seios?
Dr. André Vinícius – É Bruna, infelizmente é um método que é utilizado por compressão. No entanto, faz-se a mínima compressão necessária para que todo o parênquima, ou seja, toda a mama seja bem examinada. Porque quando se comprime a mama ali naquele aparelho a mama se espalhe e isso permite que os raios atravessem a mama e nos deem uma imagem no filme que é gravado de maneira a diminuir as chances de a superposição de tecido mamário sugerir um tumor, o que nós chamamos de falso positivo. Não tem outra resposta a dar, é o exame mais importante e salva vidas. Não tem um outro exame que salve tantas vidas relacionadas ao câncer de mama como a mamografia. E o que eu tenho a dizer que realmente é o mínimo necessário essa compressão para se ter uma boa imagem. Inclusive hoje nós temos aparelhos com a tecnologia em que se permite, inclusive, avaliar de maneira digital essas imagens, manipular as imagens no computador e nos dão com uma precisão muito grande lesões absolutamente mínimas.

Viva Mais Viva Melhor – A pergunta agora vem de Carla Cruz e ela quer saber o seguinte: “doutor, a pílula anticoncepcional de fato predispõe a mulher a câncer de mama?
Dr. André Vinícius – Não. A composição inclusive da pílula anticoncepcional é de hormônios que a própria mulher produz, principalmente estrogênio e progesterona, a progesterona de maneira isolada. Então o anticoncepcional não aumenta sua chance de ter câncer de mama. O anticoncepcional por vezes pode dar alguns sintomas, pode tornar a mama um pouco mais inchada, mais densa, mais dolorosa e isso até pode ocorrer. Em alguns casos até uma descarga, sair um liquidozinho da mama, mas não aumenta a chance para câncer.

Viva Mais Viva Melhor – Ok. Para finalizar, Suzete Santos enviou uma pergunta através das nossas redes sociais e ela gostaria de saber, doutor, onde e se é possível fazer um checkup pelo Sistema Único de Saúde (SUS), porque a mãe faleceu de câncer de mama?
Dr. André Vinícius – Todas as mulheres devem fazer esse rastreamento a partir dos 40 anos com o exame da mamografia e elas devem procurar a unidade mais próxima da sua casa, porque aproxima esse exame que é tão importante da população. Ou seja, a paciente deve procurar ser avaliada por um médico, por uma equipe de saúde na unidade básica de saúde. Lá o médico ou a equipe vai solicitar o exame de rastreamento que é a mamografia. E vejam, uma coisa interessante, um exame tão valioso como este o estado que anualmente apresenta o número de mamografias que foram disponibilizadas, mas não foram feitas, normalmente fica em média de 50 mil a 70 mil exames que estavam aguardando pacientes para ser realizados e não foram realizados. No posto de saúde próximo da casa, o médico vai pedir e a paciente vai ser referenciada à clínica credenciada ou hospital que faça, ou as vezes nestas campanhas, mutirões, Outubro Rosa, ou outra possibilidade vai fazer o seu exame anual. E algo interessante até para questão de referência. Essa paciente foi submetida a um exame mamográfico, alguma alteração, acho que isso inclusive que é uma informação de utilidade pública, o médico mesmo no posto de saúde ele encaminha a paciente para avaliação com o mastologista. Por que eu estou dizendo isso? Porque hoje nós temos aqui no Estado um equipamento que é modelo inclusive no Brasil, inaugurado no Hospital da Mulher, que é um modelo que nós temos 2 no Brasil, que é no Hospital Pérola Byington em São Paulo e o Hospital da Mulher aqui em Salvador que são referência no diagnóstico rápido e tratamento de patologias da mama. A paciente que em qualquer posto de saúde em Salvador ou, por exemplo, qualquer município da Bahia, dos mais de 400 municípios. Se a paciente tem qualquer alteração que precise de uma biópsia, um diagnóstico rápido e preciso, só precisa que o médico do posto de saúde ou a equipe de saúde faça uma referência e coloque essa paciente na central de regulação e existe um sistema que se chama de sistema de lista única e através deste sistema ela tem a sua consulta marcada e garantida no Hospital da Mulher. Um equipamento realmente excelente que eu creio pelo que tenho visto que vai mudar muito a realidade da saúde das mulheres no nosso estado.

Viva Mais Viva Melhor – Conversamos com o doutor André Vinícius, especialista em mastologia. Doutor, muito obrigada pelos esclarecimento e até a próxima.