NOSSAS ENTREVISTAS

Mitos e Verdades sobre Artroscopia

 071 2109... Ver mais >

Viva Mais Viva Melhor – Procedimento cirúrgico minimamente invasivo realizado com pequenas incisões na pele, a artroscopia do quadril é uma técnica mundialmente conhecida para eliminar a dor e permitir que o paciente use o quadril natural pelo máximo de tempo possível, desacelerando o processo de artrose na região. Porém, ainda existem muitas dúvidas a respeito do assunto e em uma série especial sobre os mitos e verdades que envolvem essa técnica, hoje nós vamos conversar com o médico ortopedista e traumatologista, especialista em quadril, doutor Lauro Magalhães.

Doutor, primeiramente, é correto afirmar que a enfermidade que mais acomete o quadril é a artrose e que o procedimento preservador mais comum é a artroscopia do quadril?
Dr. Lauro Magalhães – Olga, depende da faixa etária. Mas de um modo geral, a artrose é a enfermidade mais comum que acomete o quadril. A artroscopia do quadril hoje em dia é um dos procedimentos preservadores mais utilizados para evitar ou retardar a evolução para a artrose.

Viva Mais Viva Melhor – Qualquer pessoa pode se beneficiar com a artroscopia do quadril, mito ou verdade?
Dr. Lauro Magalhães – Não, existem algumas contraindicações. As principais são quando não se tem um espaço articular adequado, com uma artrose avançada, na anquilose quando o quadril está fusionado naturalmente, na artrodese quando a fusão é feita cirurgicamente ou na artrofibrose. Além disso, infecção superficial próximo aos portais de entrada também constituem uma contraindicação.

Viva Mais Viva Melhor – Através da artroscopia do quadril, doutor, é possível tratar diversas lesões e patologias que envolvem a articulação, isso é verdade ou é um mito?
Dr. Lauro Magalhães – Com certeza. Já está muito bem estabelecido os tratamentos de impacto femoroacetabular, das lesões condrolabrais, drenagem de pioartrite, tratamento das doenças sinoviais e cada vez mais estão sendo estudados novas indicações, como o reparo do ligamento redondo, reparo dos tendões glúteos, entre outras técnicas. 

Viva Mais Viva Melhor – A artroscopia é um procedimento com pouquíssima perda sanguínea e com reabilitação mais rápida e menos dolorosa, isso é verdade ou é mito?
Dr. Lauro Magalhães – Exatamente. Por ser minimamente invasiva a perda sanguínea é mínima, as cicatrizes são pequenas, o paciente sente menos dor no pós-operatório e, consequentemente, a reabilitação torna-se mais rápida.

Viva Mais Viva Melhor – Para realizar a artroscopia do quadril o médico poderá fazer até quatro cortes na pele, porém as cicatrizes geradas são imperceptíveis, isso é verdade, doutor, ou é mito?
Dr. Lauro Magalhães – Normalmente fazemos dois cortes na pele, mas a depender da patologia podem ser feitos alguns outros. São cortes pequenos de aproximadamente 1,0 cm cada. Após elas estarem cicatrizadas ficam muito pouco perceptíveis.

Viva Mais Viva Melhor – Embora esta cirurgia seja extremamente versátil, nem todas as lesões do quadril podem ser tratadas dessa forma, isso é verdade ou é mito?
Dr. Lauro Magalhães – Isso. Quando se tem uma artrose já estabelecida, com grande perda da cartilagem e até deformidade da articulação, a artroscopia não terá um resultado tão satisfatório. Obviamente também as fraturas não são tratadas por este método ainda.

Viva Mais Viva Melhor – A artroscopia do quadril pode ser realizada com anestesia local, bloqueio lombar, sedação ou sob anestesia geral, isso é mito ou é verdade?
Dr. Lauro Magalhães – Normalmente a anestesia adotada é a raquianestesia com sedação ou associada a anestesia geral.

Viva Mais Viva Melhor – Apesar de ser uma técnica bastante segura, podem haver complicações durante a artroscopia do quadril, verdade ou mito?
Dr. Lauro Magalhães – Sim. Todo o procedimento cirúrgico é sujeito a complicações. Na artroscopia, apesar da taxa de complicações ser bem baixa, a lesão iatrogênica da cartilagem e ao labrum, neuropraxia dos nervos pudendo e cutâneo lateral da coxa, hiper ou hipocorreção do “cam”, entre algumas outras.

Viva Mais Viva Melhor – Dependendo do problema, doutor, a artroscopia do quadril pode ser apenas paliativa, na tentativa de preservar a articulação, em algumas situações pode ser mais prudente abandonar definitivamente os esportes de impacto, isso é verdade ou é mito.
Dr. Lauro Magalhães – Como já foi dito, quando se tem uma artrose já avançada, a artroscopia não terá um resultado bom. Costumamos conversar com o paciente indicando alguma outra atividade que não lhe cause dor. Eu não proíbo a eles determinados esportes de impacto, eu informo e ele saberá que a permanência neste esporte irá causar cada vez mais degeneração da sua articulação e consequentemente cada vez mais dor.

Viva Mais Viva Melhor – Após realizar a cirurgia de artroscopia do quadril, o retorno ao trabalho é bem rápido, dependendo dos níveis da dor e da natureza do trabalho de cada paciente, isso é verdade ou é um mito?
Dr. Lauro Magalhães – É uma avaliação individualizada, não é? Depende do tipo e do estágio da patologia, depende do paciente, da natureza do esporte e do trabalho, mas com certeza o tempo de retorno a estas atividades é bem menor do que se a cirurgia fosse aberta.

Viva Mais Viva Melhor – Para finalizar, doutor, é correto afirmar que além do quadril a artroscopia pode também tratar problemas no joelho e no ombro?
Dr. Lauro Magalhães – Sim. A artroscopia já está amplamente difundida nas especialidades de joelho e ombro. Nos últimos anos também já estão sendo realizadas para as articulações do punho, cotovelo, tornozelo e até cirurgias endoscópicas de coluna. Estes avanços na ortopedia nos possibilitam tratar de diversas patologias com pequenas incisões, retorno mais rápido ao esporte e ao trabalho e com baixas taxas de complicações.

Viva Mais Viva Melhor – Conversamos com o doutor Lauro Magalhães, ortopedista e traumatologista especialista em quadril. Doutor, muito obrigada pelos esclarecimentos e até a próxima.