NOSSAS ENTREVISTAS

Mitos e Verdades: Ressonância Magnética

 (071) 37... Ver mais >

Viva Mais Viva Melhor – Você já deve ter ouvido falar que o exame de ressonância magnética causa falta de ar, desconforto e uma sensação de claustrofobia em algumas pessoas. Por conta disso ainda surgem dúvidas a respeito do assunto. O procedimento é um dos mais sofisticados e completos disponíveis, permite imagens em diversos planos de qualquer parte do corpo, além de sere extremamente seguro e indolor. E para desmistificar um pouco melhor sobre este tema na nossa série Mitos e Verdades hoje quem conversa conosco é o doutor José Luiz, especialista em radiologia e diagnóstico por imagem.

Doutor, é verdade que ao contrário de muitos exames como a radiografia ou a tomografia computadorizada, a ressonância magnética não emite radiação?

Dr. José Luiz – Sim, é verdade. O aparelho de ressonância é basicamente um ímã gigante que produz um potente campo magnético e aplicando ondas de rádio se obtém imagens anatômicas detalhadas dos órgãos internos e estrutura dos pacientes. Diferentemente da radiografia e tomografia que utilizam radiação ionizante, que é potencialmente prejudicial aos pacientes.

Viva Mais Viva Melhor – A exposição ao campo magnético utilizado na ressonância magnética é prejudicial à saúde, essa afirmativa é mito ou é verdade, doutor?

Dr. José Luiz – O campo magnético e as ondas de rádio são completamente inócuos ao corpo humano.

Viva Mais Viva Melhor – É preciso retirar joias, aparelhos auditivos externos e piercing metálicos antes da realização do exame de ressonância magnética, isso é mito ou é verdade?

Dr. José Luiz – Verdade. Como é usado no campo magnético, é importante que objetos metálicos e aparelhos eletrônicos não entrem na sala de exame. Portanto, joias, acessórios metálicos e aparelhos auditivos devem ser retirados para não interferirem com o exame.

Viva Mais Viva Melhor – Gestantes podem realizar exames de ressonância magnética, porém o uso de contraste à base de gadolínio não deve ser usado rotineiramente em virtude dos danos potenciais ao feto, isso é mito ou é verdade?

Dr. José Luiz – Verdade. Não há nenhum problema em gestantes realizarem o exame. Quanto ao uso do contraste, sua segurança não está completamente estabelecida para o feto, apesar de algumas evidências de que é seguro. Porém, é prudente não usá-lo rotineiramente sem que seja identificado o real benefício para a mãe ou feto.

Viva Mais Viva Melhor – Doutor, claustrofóbicos têm dificuldades em fazer o exame de ressonância, isso é mito ou é verdade?

Dr. José Luiz – É verdade. Os aparelhos com maior resolução são fechados nas laterais e, para fazer o exame, o paciente tem que ficar imóvel durante alguns minutos num espaço pequeno. Pacientes muito ansiosos ou claustrofóbicos podem ter dificuldades.

Viva Mais Viva Melhor – A equipe de ressonância deve estar treinada e vigilante para evitar que qualquer objeto metálico adentre à sala de exame, a exemplo de cilindro de oxigênio, visto que podem haver acidentes por deslocamento abrupto destes materiais, mito ou verdade?

Dr. José Luiz – Verdade. Devido ao potente campo magnético, objetos metálicos são proibidos de entrar na sala de exame. Objetos metálicos, a exemplo do tubo de oxigênio, macas, enceradeiras, ao se deslocarem em direção ao equipamento podem ferir um paciente ou funcionários. Todos da equipe devem estar treinados para evitar acidentes desta natureza.

Viva Mais Viva Melhor – Doutor, é verdade que a ressonância magnética pode ajudar no tratamento e prevenção de uma lesão esportiva?

Dr. José Luiz – Verdade. A ressonância magnética é o método de imagem que melhor avalia a anatomia do sistema musculoesquelético e suas patologias. Ela tem a capacidade de fornecer imagens detalhadas dos músculos, tendões, ligamentos, cartilagens e estruturas ósseas, possibilitando um diagnóstico mais preciso, fundamental para o tratamento adequado e retorno mais rápido às atividades físicas.

Viva Mais Viva Melhor – Alergia a frutos do mar seria um fator de risco para reações adversas ao contraste utilizado nos exames de ressonância, isso é mito ou é verdade?

Dr. José Luiz – Mito. O relato de alergia simples a camarão e frutos do mar não contraindica ao uso do contraste. Quem tem mais chance de desenvolver reações adversas são pessoas que já tiveram reação alérgica em exame anterior, pessoas com histórico de alergias diversas significativas maiores de 50 anos, diabéticos e nefropatas.

Viva Mais Viva Melhor – Doutor, é mito ou é verdade que o uso de contraste deve ser evitado em portadores de insuficiência renal?

Dr. José Luiz – Verdade. O contraste à base de gadolínio deve ser evitado sempre que possível em pacientes com déficit de função renal e quando possível deve ser substituído por outros exames, como ultrassonografia. Em situações em que não houver outras opções deve ser avaliado o risco e benefício, podendo ser ajustada a dose do contraste à função renal.

Viva Mais Viva Melhor – Conversamos com o médico doutor José Luiz, especialista em radiologia. Doutor, muito obrigada e até a próxima oportunidade.

Dr. José Luiz – Muito obrigado, quem agradece sou eu.