NOSSAS ENTREVISTAS

Mitos e Verdades - Câncer de pâncreas

 (071) 99... Ver mais >

Olga Goulart – Dando sequência a nossa série Mitos e Verdades, hoje nosso assunto é o câncer de pâncreas e quem conversa com a gente é o Dr. Alexandre Albuquerque, cirurgião oncológico.

Doutor, o câncer de pâncreas só afeta os idosos, é verdadeiro dizer isso ou é mito?

Dr. Alexandre Albuquerque – Não, é um mito. O câncer de pâncreas realmente é mais frequente em idosos, agora ele também pode atingir as populações mais jovens.

Olga Goulart – É verdade que o cigarro e bebida são os principais fatores de risco para desenvolver o câncer de pâncreas?

Dr. Alexandre Albuquerque – Sim, o cigarro é o principal fator de risco juntamente com a idade avançada. O álcool quando utilizado de maneira muito frequente pode desencadear pancreatite crônica e a pancreatite crônica está relacionada ao aumento do risco de câncer de pâncreas.

Olga Goulart – É verdade então afirmar que o câncer de pâncreas só acontece em pessoas que sejam fumantes ou alcóolatras?

Dr. Alexandre Albuquerque – Não. O câncer de pâncreas também pode comprometer pessoas que nunca beberam, nem nunca fumaram. Agora esses dois fatores de risco aumentam as chances de você desenvolver o câncer.

Olga Goulart – Certo. A pancreatite, doutor, é a mesma coisa que câncer de pâncreas ou não?

Dr. Alexandre Albuquerque – Não. A pancreatite é uma inflamação do pâncreas. Ela pode ser aguda ou crônica, mas não é o câncer de pâncreas.

Olga Goulart – A gente ouve dizer também que quem tem diabetes tem maior predisposição ao câncer de pâncreas, isso é verdade ou é mito?

Dr. Alexandre Albuquerque – É um mito. O diabetes não aumenta o risco do câncer de pâncreas. Agora o diabetes principalmente quando é um diabetes em que não existem outros fatores de risco, não existe uma história familiar e de repente você tem esse diagnóstico numa idade mais avançada ele pode ser um dos sinais de alerta para o surgimento do câncer de pâncreas.

Olga Goulart – Doutor, os sintomas do câncer de pâncreas podem ser muitos semelhantes a outras patologias, ou seja, ele pode ser silencioso, quase não cursar com sintomas?

Dr. Alexandre Albuquerque – Pode sim. Os sintomas do câncer de pâncreas muitas vezes são vagos. É um emagrecimento, é uma dor abdominal de difícil caracterização, muitas vezes podem ser confundido com gases ou com uma gastrite. Então muitas vezes ele pode se desenvolver de uma maneira silenciosa.

Olga Goulart – Quer dizer então que perda de peso não intencional deve ser sempre investigada.

Dr. Alexandre Albuquerque – Com certeza. 

Olga Goulart – Verdade. Não existe exame preventivo para o câncer de pâncreas, isso é certo ou errado da gente afirmar?

Dr. Alexandre Albuquerque – É certo. Não existe uma recomendação de rastreamento do câncer de pâncreas, como por exemplo do câncer de mama que é recomendada a realização das mamografias ou por exemplo do câncer de próstata em que são recomendados o exame de Toque e o exame do PSA.

Olga Goulart – Certo. Cirurgia, doutor, ainda é o melhor tratamento de câncer de pâncreas? E eu ainda adianto perguntando também se qualquer paciente poderia se submeter a uma cirurgia.

Dr. Alexandre Albuquerque – A cirurgia é o principal tratamento do câncer de pâncreas. A cirurgia é o único tratamento que possibilita a chance de cura. Agora não necessariamente a cirurgia vai estar indicada em todos os pacientes. É fundamental que o paciente com o diagnóstico de câncer de pâncreas seja visto por um médico competente que aí vai poder avaliar se existe ou não a indicação de uma cirurgia.

Olga Goulart – Existe uma camada da população que tem uma crença de que depois de se submeter a uma cirurgia para o câncer de pâncreas o paciente pode vir a ficar diabético, isso é verdade ou é mito?

Dr. Alexandre Albuquerque – É um mito. A cirurgia para o tratamento do câncer de pâncreas normalmente retira uma parte do pâncreas que está envolvido pelo câncer e se o paciente não tem nenhuma predisposição de diabetes o restante do pâncreas é capaz de produzir a insulina necessária para a regulação normal do açúcar no sangue. Então o paciente normalmente não tem diabetes após a cirurgia do câncer de pâncreas.

Olga Goulart – Doutor, última pergunta sobre mito ou verdade. É verdade que ter hábitos saudáveis, bem como a prática de atividade física é uma das melhores formas de se prevenir o câncer de pâncreas?

Dr. Alexandre Albuquerque – Sim, não só do câncer de pâncreas, como de outros tipos de tumores e também de outras doenças em geral.

Olga Goulart – Doutor Alexandre, muito obrigado pelas informações e até a próxima dica aqui no Viva Mais Viva Melhor.